Quarta-feira, 18 de Setembro de 2013

«EM TORDESILHAS A BESTIALIDADE É A DOBRAR»

 
 

 

«Em Tordesilhas, todos os anos, a selvajaria é dupla.

 

A chusma ataca barbaramente um touro que não tem qualquer hipótese de se defender, ataca os que contestam o acto medieval e primitivo e também aqueles que fazem o seu trabalho.

 

Uma foto que ilustra e bem os trogloditas de Tordesilhas

 

Ontem, uma vez mais, não se limitaram a chacinar o touro Vulcano, apedrejaram manifestantes anti-touradas e agrediram o jornalista Juan Postigo do jornal “Tribuna de Valladolid”.

 

Jornalista, esse, que se limitava a fazer o seu trabalho e que foi assaltado por dois facínoras que tentaram tirar-lhe a câmara atirando-o violentamente ao solo.

 

Uma vez que estes energúmenos afirmam aos quatro ventos que não só a “festa” é legal como sentem orgulho na mesma, então porque é que ano após ano agridem jornalistas e tentam a todo o custo evitar que os mesmos filmem ou tirem fotos?

 

Porque sabem e bem que o que fazem é sanguinário, arcaico e próprio de gente que ainda vive na era das cavernas.

 

Prótouro

Pelos touros em liberdade»

 
publicado por Isabel A. Ferreira às 10:03

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 17 de Setembro de 2013

VULCANO MORREU DEVIDO À DEMÊNCIA E MALDADE DO ANIMAL HOMEM IRRACIONAL

 
 
 
publicado por Isabel A. Ferreira às 18:11

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

VULCANO, MI HERMANO, HOY ESTOY CONTIGO Y SUFRIRÉ TUS DOLORES

 
Tordesillas sangrienta – Toro de la Vega
 
 
 
 
 

Las imágenes de la salvajería 

 
  

AQUÍ ESTÁ EL BASTARDO, CON CARA DE RETARDADO, DAVID RODRÍGUEZ "GANADOR" ESTE AÑO... así sufras todo el dolor que has infligido multiplicado x 1000

 

Fuente:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10201109212665869&set=o.445041488871085&type=1&theater

 

 

 

 
 

Que las criaturas tenebrosas,  que te torturarán, sufran los mismos dolores que tú sufriste a sus  manos.

 
Y esto es todo lo que puedo hacer por ti, ahora, porque nada do que hice hasta hoy repercutió en el ignaro gobierno español
publicado por Isabel A. Ferreira às 11:03

link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 16 de Setembro de 2013

UM AFICIONADO ANÓNIMO (QUE JÁ NÃO É MAIS ANÓNIMO) DEFENDE A TOURADA À CORDA, NA ILHA TERCEIRA, BASEADO NO TEXTO DE UM VIGARISTA PAGO PARA DENEGRIR A MINHA IMAGEM

 
 
 

Esta é a face dos cavernícolas, que não tendo argumentos racionais para defender o ponto de vista deles, usam o estratagema dos vigaristas para tentarem destruir a imagem de quem lhes faz frente

 

 

A história já tem barbas brancas. A prótoiro, já a utilizou pelos mesmos motivos, em Maio de 2012, numa tentativa frustrada de me calarem. Já estamos em Setembro de 2013 e continuo a denunciar o que tenho o DEVER de denunciar (de outro modo seria tão bronca como eles) e ainda há quem tente, com o mesmo estratagema desleal e covarde, calar quem nasceu com sentido crítico e não anda no mundo só por ver andar os outros.   

 

Ultimamente anda por aí um energúmeno (o qual, por enquanto, não vou identificar) que regressou à caverna onde vivem os ogres, e resolveu desenterrar uma tabuinha de argila, do género das da Babilónia, onde um vigarista mercenário pago para me difamar escreveu um texto denominado «A sofista decadente».

 

Para quem não sabe o que é um ogre, aqui deixo a informação: trata-se de um gigante de aparência brutal, feio e muito desajeitado. Na mitologia, quase sempre é retratado como um monstro que habita florestas isoladas e lúgubres. São criaturas que possuem um cérebro reduzido, o que justifica os seus actos de insanidade, falta de competência e uma capacidade mental reduzida.

 

Diz o aficionado que já não é anónimo: «Covarde é você que se esconde atrás de um computador, e que todos sabem a merda de mulher que você é todos sabem e todos também já sabem a fraude que você é que nem o curso superior tirou no Brasil chumbo esse que causou a sua extradição para Portugal, ao ter acusado os Brasileiro de racismo por ter chumbado no exame de acesso ao ensino superior Brasileiro. Como vê já toda a gente sabe a merda de fraude que você é.

 

Pois agora chame-lhe mercenário, que aqui toda a gente já sabe quem é essa pessoa que a desmascarou e que contou toda a verdade sobre a Isabel e toda a história por detrás da vinda da mesma para Portugal, depois de ter acusado uma universidade Brasileira de racismo só porque não passou nos exames de acesso ao ensino superior, Isabel A. Ferreira é uma das maiores farsas, que nem jornalista como afirma ser é, o que é totalmente notório devido à falta de educação e formação em escrita Portuguesa»

 

Eu poderia ignorar isto. Como ignoro as obscenidades com que me “mimoseiam” e que decidi publicar, para que corra mundo o baixo nível moral destas criaturas.

 

O que diz este “anónimo” é CRIME DE DIFAMAÇÃO, assim como FOI CRIME DE DIFAMAÇÃO o que escreveu o mercenário.

 

Quem tiver curiosidade de ler esse texto está neste link:

 

http://danilofirmino.blogs.sapo.pt/8371.html

 

Para desmontar esta MONSTRUOSA MENTIRA basta ler o meu livro “Contestação”, e quem não for sofrer de iliteracia, verificará, que o Danilo distorceu, propositadamente, tudo o que DEFENDO no livro.

 

Quanto à minha passagem pela “Gama Filho” é tão fácil derrubar a calúnia! Os DOCUMENTOS OFICIAIS NÃO MENTEM.

 

Mas agora CHEGA! Acabou-se a brincadeira. Para tudo há um limite. Cansei-me do jogo do ogre.   

 

Este DESANÓNIMO tem de ser desmascarado, publicamente, assim como foi desmascarado o autor do texto difamatório, que não fez mais do que dizer mentiras e parvoeiras, desvirtuando tudo o que é público a respeito da minha pessoa.

 

Não admira que o aficionado ogre português o tivesse aproveitado.

 

O Arco de Almedina faz mossa aos tauricidas e a todos os que gravitam ao redor do negócio sujo e bárbaro da tauromaquia. Muita mossa. A todos eles. E eles não gostam de ler as verdades, que nunca lhes foram ditas tão causticamente.

 

E como este energúmeno não tem argumentos racionais e lógicos para defender a tortura de bovinos para divertir sádicos e pacóvios, aproveitou-se deste texto de um IRRACIONAL, encomendado por um determinado lobby brasileiro, o qual um sujeito sem quaisquer escrúpulos aceitou escrever, a troco de dinheiro, para me desacreditar.

 

Quem acreditou no que o mercenário escreveu?

 

Apenas os parvos.

 

E a história da “sofista decadente” tem origem num livro que escrevi, intitulado “CONTESTAÇÃO” que contesta o livro «1808», de Laurentino Gomes, o jornalista brasileiro, best-seller, que nesse livro trata os portugueses abaixo de “porcos, feios, maus e ignorantes”, não contextualizando os factos históricos que narra, e desvirtuando a verdade histórica que está por detrás da sua narrativa, o que me irritou, como portuguesa e como historiadora. Vai daí, contestei e repus a verdade dos factos.

 

Ora, isto descredibilizou o «1808», que além de conter graves despropósitos, foi um plágio de um livro escrito por um australiano.

 

O autor do texto encomendado para me descredibilizar, e adestrado por um determinado lobby, fez-se passar por uma pessoa de bem, e encomendou-me o meu livro (pois ele não foi comercializado no Brasil, por aselhice da minha editora) e enviei-o pelo correio, na boa-fé. Ora o adestrado não era pessoa de bem (pelo que veio a demonstrar depois, em mensagens privadas e públicas); além disso não pagou o que me devia: o livro e os portes de envio pelo correio.

 

Ora quem não paga é CALOTEIRO.

 

Pois foi isso que lhe chamei.

 

Além de não gostar de ter sido chamado de caloteiro, aproveitou para escrever o que escreveu, a soldo do lobby, para me desacreditar junto ao meio editorial brasileiro, com o intuito de que o meu livro não fosse publicado na sua versão brasileira, no Brasil. O que nunca veio a acontecer.

Todas as tentativas de publicação foram BOICOTADAS.

 

Eis a génese do texto que este anónimo (que já não é mais anónimo) está a utilizar para “defender a tourada à corda na Ilha Terceira”, à falta de argumentos racionais, pensando que com isso credibiliza a irracionalidade da tortura de bovinos, e me faz mossa a mim.

 

Engana-se redondamente.

 

***

 

AFICIONADOS, da próxima vez que utilizarem o texto do Danilo Firmino, não se esqueçam de colocar este meu texto também. Faz parte da HONESTIDADE INTELECTUAL (se é que sabem o que isso é) apresentar as DUAS VERSÕES: a verdade e a mentira.  

 
publicado por Isabel A. Ferreira às 19:43

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Ao cuidado dos terceirenses para que aprendam que a tourada à corda é uma violação da dignidade do ser humano e um delito de violência injustificada contra os animais

 

 

Veja-se onde o desventurado animal está fechado antes de o soltarem para continuarem a torturá-lo  

Origem da foto:

https://plus.google.com/photos/101818200134514229522/albums/5873147658914276257/5873147788962949698?banner=pwa&pid=5873147788962949698&oid=101818200134514229522

 

«1.º As touradas à corda não são um desporto, nem são cultura, são uma violação da dignidade do ser humano e um delito de violência injustificada contra os animais.

 

2.º A preocupação com o bem-estar dos animais faz parte de um ser humano integral.

 

3.º Os bovinos criados pela indústria da tourada à corda vivem uma vida de tortura.

 

4.º A tourada à corda não serve para alimentação, é totalmente inútil e desnecessária.

 

5.º A indiferença e o gozo com o sofrimento de seres inocentes não é uma questão de gosto ou liberdade individual, é sim uma psicopatia grave e perigosa, claramente diagnosticada pela psiquiatria forense.

 

6.º As provas de que a tourada à corda é pura violência gratuita estão nas imagens e vídeos publicadas pelos próprios aficionados.

 

7.º As touradas à corda prejudicam o turismo e contribuem para elevados níveis de violência e alcoolismo.

 

8.º As touradas à corda atrasam a evolução civilizacional e económica dos Açores e sobrevivem à custa do roubo dos contribuintes que as sustentam.

 

9.º As touradas à corda provocam danos no património público e privado e os seus custos são suportados pelos contribuintes.

 

10.º A realização de touradas à corda impede o desenrolar das actividades económicas e a liberdade de circulação das pessoas.

 

11.º A venda ambulante durante as touradas à corda constitui um perigo para a saúde pública e os que vivem dela não dependem das touradas à corda, pois podem exercer a sua actividade fora delas.

 

12.º As touradas à corda são um costume espanhol introduzido durante a ocupação dos Açores pelos Filipes de Espanha e não são elemento identitário dos açorianos.

 

Pelo amigo Jay Nandi.»

 

Fonte:

 https://www.facebook.com/terceirenses.antitouradas/posts/1414046182147386

 

***

SE DEPOIS DE TODAS ESTAS EXPLICAÇÕES FUNDAMENTADAS RACIONALMENTE, OS TERCEIRENSES AFICIONADOS NÃO ENTENDEREM QUE DEVEM ABOLIR A TOURADA À CORDA, O QUE DEVEMOS DEDUZIR QUE ELES SÃO?

 

SIM, EXACTAMENTE, AQUELE ADJECTIVO DE QUE NÃO GOSTAM NADA.

 

 ***

É esta a foto de que fala Jay, no seu comentário: um bebé bovino a ser COBARDEMENTE torturado na tristemente famosa ganadaria açoriana Rego Botelho, que custa todos os anos milhões de euros aos contribuintes portugueses .

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:30

link do post | Comentar | Ver comentários (8) | Adicionar aos favoritos
Sábado, 14 de Setembro de 2013

REPÚDIO PELA VIOLÊNCIA INFANTIL E MALTRATOS A ANIMAIS

 
 
 

Todos os anos em Portugal centenas de crianças são dessensibilizadas para o sofrimento dos animais nas touradas, estimuladas por adultos a assistir e/ou participar em eventos tauromáquicos.

 

Os menores são assim vítimas destes processos de fomento da actividade, que felizmente conta com cada vez menos apoiantes no nosso país.

 

E não há nenhuma autoridade que ponha fim a este crime contra as crianças.

 

E que interesse têm as crianças para os governantes?

 

O futuro ficará comprometido se continuarem a fomentar a violência e a tortura contra animais.

 

Mas o que importa? Desde que não sejam com os filhos deles…

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:26

link do post | Comentar | Ver comentários (24) | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 13 de Setembro de 2013

REQUERIMOS LA ABOLICIÓN DEL «TORO DE LA VEGA» Y DEL «TORO JUBILO» - DOS DE LOS MÁS CRUELES RITUALES SALVAJES DE UNA ESPAÑA QUE SE DICE MODERNA

 

Solicitase  a todos los defensores de los animales que envíen el mensaje sugerida para el link (abajo) del Europarlamento español, exigiendo la ABOLICIÓN del TORO DE LA VEGA y del TORO JUBILO

 

http://www.europarl.es/view/es/quicklinks/contact.html

 

 

Toro de la Vega

 

 

Toro Jubilo

 

Mensaje:

Estimados Señores,

Esta carta pretende ser una petición de un gran número de seres humanos de diversas nacionalidades, que actualmente nos sentimos sin ninguna arma más que la de comunicación para luchar contra dos actos que cada año se producen en España y de los cuales la humanidad culta y civilizada siéntese avergonzada.

 

Dichos actos no son otros que el del Toro de la Vega que anualmente se celebra en Tordesillas, Valladolid, y el Toro Jubilo que ocurre anualmente en Medinaceli, una provincia de Soria, ambos en Espanã.

De acuerdo con la ética y la racionalidad humana, los aludidos rituales taurinos no son un patrimonio “cultural” que deba ser salvaguardado, ya que, aunque hayan sido unas prácticas muy arraigadas en otros tiempos primitivos en España, en la actualidad la mayor parte de la población española y mundial rechaza el mantenimiento de tales “espectáculos” por considerarlos crueles costumbres moralmente inadmisibles, más propias de salvajes que de pueblos civilizados, pues suponen el más absoluto desprecio a la vida de un animal inocente y indefenso que es acorralado, torturado lentamente y vilmente ejecutado ante un público insensibilizado y envilecido, incapaz de ver la cruel y trágica realidad enmascarada en un “espectáculo” ilusoriamente alegre, vistoso y colorista.


No se trata, pues, de un bien “cultural”, ya que la cultura engrandece al ser humano, lo eleva, le aporta, si cabe, más valores a su condición, y como la misma UNESCO señaló en su Declaración de México 1982 “ (…) la cultura da al hombre la capacidad de reflexionar sobre sí mismo. Es ella la que hace de nosotros seres específicamente humanos, racionales, críticos y éticamente comprometidos. (…)

De acuerdo con esta declaración, a la tauromaquia no podría atribuirse valor cultural alguno, porque no nos enriquece en ningún sentido, no hace de nosotros seres más “humanos” y “racionales”, ni por supuesto “éticamente comprometidos”. Al contrario, la tauromaquia envilece al hombre, lo degenera, hace que aflore en las personas su parte más sórdida e inhumana al despreciar sin compasión a ese animal merecedor de respeto y protección por el simple hecho de ser un ser vivo igual que nosotros.

Por ello, les rogamos tengan en cuenta nuestra petición y hagan lo posible para erradicar de forma inmediata tales festejos y evitar así que el año que viene otros animales vuelvan a ser torturados y ejecutados con tal crueldad en Tordesillas y Medinaceli .

 

Nosotros por nuestra parte vamos a hacer todo lo posible hasta que esto se haga porque no podemos permitir seguir sintiéndonos identificados como seres humanos y bajo una celebración que tiene como protagonista la muerte.

PD: Además en nuestra humilde labor por conseguir dicho objetivo, nos permitirán recordarles algunos de los puntos más destacables de la declaración de los derechos animales aprobada por la Organización de las Naciones Unidas para la Educación la Ciencia y la Cultura (UNESCO), y posteriormente por la Organización de las Naciones Unidas (ONU):

Artículo 1.

Todos los animales nacen iguales ante la vida y tienen los mismos derechos a la existencia.

Artículo 3.

a) Ningún animal será sometido a malos tratos ni actos crueles.

b) Si es necesaria la muerte de un animal, ésta debe ser instantánea, indolor y no generadora de angustia.

Artículo 10.

a) Ningún animal debe ser explotado para esparcimiento del hombre.

b) Las exhibiciones de animales y los espectáculos que se sirvan de animales son incompatibles con la dignidad del animal.

Artículo 11.

Todo acto que implique la muerte de un animal sin necesidad es un biocidio, es decir, un crimen contra la vida.

Artículo 14.

a) Los organismos de protección y salvaguarda de los animales deben ser representados a nivel gubernamental.

b) Los derechos del animal deben ser defendidos por la ley, como lo son los derechos del hombre.  

Gracias por su atención y esperamos noticias suyas.

Atentamente,

(Nombre)
Isabel A. Ferreira

(País)

Portugal

 

(E-mail)

isabelferreira@net.sapo.pt

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:29

link do post | Comentar | Ver comentários (3) | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 12 de Setembro de 2013

EL TORO DE LA VEGA ES LA VERGÜENZA DE ESPAÑA Y DE LA HUMANIDAD

 

Esta es la idea sobre el valor que tienen en Tordesillas. Un energúmeno mofándose de un toro tumbado y agonizando. Así se expresan en esta web partidaria del torneo del Toro de la Vega. Que cada cual saque sus propias conclusiones.

 
 

 

La imagen de un cobarde

 

***

Es fácil ser un valeroso lancero de Tordesillas. Acosando, torturando y asesinando a una joven criatura.

 La imagen es de un tentadero de acoso. Práctica habitual en las ganaderías españolas.   

 

 

Tres bestias  irracionales torturando a un pequeño ser más racional que sus carrascos.

 

***

Os dejamos el elenco de catedráticos que han firmado el apoyo al toro de la vega. También podéis ver el manifiesto que han firmado defendiendo la tortura y muerte del más débil.

Este sábado 14/09 tienes la oportunidad de dejar claro a esta gente que la barbarie no merece ningún respeto.

MIGUEL ÁNGEL QUINTANA PAZ (Universidad Europea Miguel de Cervantes – España);

JAVIER HERNANZ PILAR (Universidad de Valladolid España);

JESÚS GONZÁLEZ REQUENA (Universidad Complutense de Madrid- España);

LUÍS CAPUCHA (Instituto Universitário de Lisboa - ISCTE-IUL- Portugal);

JULIO. CESAR GOVES NARVÁEZ (Universidad Nacional de Colombia- Bogotá- Colombia);

GABRIEL ARTURO CASTRO Universidad del Tolima, Ibagué – Colombia);

AMAYA ORTIZ DE ZÁRATE (Universidad Complutense de Madrid-España);

LORENZO J. TORRES HORTELANO (Universidad Rey Juan Carlos-España);

TECLA GONZÁLEZ HORTIGÜELA (Universidad de Valladolid-España);

BASILIO CASANOVA VARELA (Universidad Complutense de Madrid- España);

LUIS MARTIN ARIAS (Universidad de Valladolid-España)

 

 

 Manifiesto universitario pro Toro Vega – Una demonstración de una grande ignorancia, escasez de inteligencia y un carácter débil, inmoralidades que estos universitarios heredaran de sus primitivos antepasados, y la universidad no hace milagros.

 

http://bousalcarrer.com/?p=3338

 

***

Ahí están los valientes de Tordesillas. Ocultando la desgracia. Tapando lo pútrido de sus almas.

 Mientras su víctima agoniza la esconden, pues no contentos con cercenar su vida, le arrancan los testículos como trofeo, mientras el animal agoniza.

 Estos son los valores altos y virtuosos de Tordesillas y el festejo del Toro de la Vega.

                       

 

Fonte:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=715278805152859&set=a.481009175246491.124320.477602222253853&type=1&theater

 

***

Por todo esto, el mundo civilizado tiene el DEBER de EXIGIR la PROHIBICIÓN del Toro de La Vega

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:57

link do post | Comentar | Ver comentários (3) | Adicionar aos favoritos

...

publicado por Isabel A. Ferreira às 12:03

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

A “projecção freudiana" nos aficionados

 

«A docilidade de um Touro, no seu habitat, verifica-se pela capacidade que o animal tem em aceitar o ser humano sem demonstrar comportamentos de medo ou de agressividade para com eles. Todos os anos, milhares destes belos animais são torturados nas praças de touros, em nome de uma suposta tradição cruel e desumana, que insiste em persistir no sofrimento e posterior morte destes dóceis e belos animais

(Cândido Coelho)

 

 

Fonte:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=474855769249112&set=a.458611217540234.1073741827.100001740791934&type=1&theater

 

***

Os aficionados, tauricidas, torcionários e todos os que andejam ao redor da grosseira prática da tauromaquia têm muita dificuldade em aceitar os seus próprios defeitos, limitações, desafectos, violência e invirilidade, daí projectarem nos outros toda essa carga de emoções indesejadas.

 

Defendem-se dessa patologia primeiramente transpondo para o Touro (o bovino dócil) uma violência que ele não tem, por natureza. O Touro que aparece na arena, é um Touro já bastante massacrado, e mais não faz do que tentar defender-se dos seus carrascos.

 

Além disso, projectam também nos defensores dos direitos dos animais tudo aquilo que eles são, e nós não somos.

 

Tudo isto está estudado, e a Psicologia diz-nos que esta projecção psicológica, esta transferência de sentimentos reprimidos é um mecanismo de defesa, que permite a essas pessoas reduzir a ansiedade, fazendo-as sentir-se libertas dos seus próprios defeitos e sentimentos pouco nobres.

 

Daí ouvirmos os taurinos falarem em “touro bravo” e chamarem aos defensores dos animais todos os nomes que eles não aceitam em si próprios.

 

Porém, todos sabemos que os Touros são bovinos mansos. Afáveis. Herbívoros. Neles, a violência existe apenas como legítima defesa, como em qualquer um de nós.

 

Quanto ao resto… pobres aficionados! Desconhecem quase tudo da vida. Vivem num mundinho fechado, a cheirar a suor, a urina, a bosta, a sangue, a ódio, a mofo, a álcool, a violência… e querem, porque querem, ser aceites na sociedade como “gente normal e humana”. Desde os governantes, igreja católica e empresários que apoiam esta miséria moral, aos que aplaudem e praticam tal ignomínia.

 

São anormais e desumanos.

 

Doentes mentais?

Precisarão de tratamento psiquiátrico?

Serão dignos de comiseração?

 

Não me parece, uma vez que recusam a informação que lhes é dada, para evoluírem.

 

Há quem viva rodeado de lixo. Se quisermos retirar essa pessoa da lixeira, recusa-se, porque já não consegue viver num mundo higiénico.

 

O mesmo acontece com os aficionados e afins. A miséria moral faz parte do ADN deles.

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:29

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Abril 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

A Imprensa Nacional assin...

É urgente acabar com a lu...

O primeiro acto do XXIV G...

Num acto de pura canalhic...

Nesta Primavera, que cheg...

«Não há a mínima TOLERÂNC...

São José festejado em San...

Brasileira diz que são os...

Legislativas 2024: nenhum...

Parabéns, Colômbia sem to...

Arquivos

Abril 2024

Março 2024

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

AO90

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, nem publica textos acordizados, devido a este ser ilegal e inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais. Caso os textos a publicar estejam escritos em Português híbrido, «O Lugar da Língua Portuguesa» acciona a correcção automática.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt