Domingo, 18 de Novembro de 2012

MILHARES DE “TWEETS” EMITIDOS DESDE 15 DE NOVEMBRO PARA A CAMPANHA «NÃO AO USO DE RECURSOS FINANCEIROS PÚBLICOS PARA AS CORRIDAS DE TOUROS»!

 

 

15 de Novembro.

 

A Fundação Franz Weber lançou uma "tweetcampaign” contra os subsídios para as touradas provenientes da União Europeia.

 

No primeiro dia foram recebidos mais de 5 MIL “tweets”. No segundo dia chegou ao 2500.

Hoje são milhares. 

 

É DEVER de todos os cidadão do mundo, pacifistas e compassivos, que continuem a DIVULGAR esta campanha.

 

O link é este: www.NoMoreFunds.org

 

JÁ CHEGA DE SUBSIDIAR A TORTURA DE SERES VIVOS E ENCHER OS BOLSOS DOS MAFIOTAUROMÁQUICOS.

 

SÓ OS CEGOS MENTAIS O FAZEM.

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:43

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 16 de Novembro de 2012

FELIZMENTE NUNCA MAIS SE REALIZARÃO ESPECTÁCULOS TAUROMÁQUICOS!

 

 

«A legenda poderia ser “Torturados em público, em Portugal, durante o presente fim-de-semana” se, por cá, a temporada tauromáquica 2012 não tivesse terminado na passada quinta-feira. Felizmente, até final de 2012, não se realizarão mais espetáculos tauromáquicos no nosso país (cremos).

Estamos certos de que um dia, poderemos dizer: “Felizmente, NUNCA MAIS se realizarão espetáculos tauromáquicos”.

(Marinhenses Anti-Touradas)

 

Fonte:

https://www.facebook.com/infanciaSINviOLEncia#!/photo.php?fbid=489429944423907&set=a.215152191851685.58389.215151238518447&type=1&theater

 

Pois nós temos a certeza de que NUNCA MAIS se realizarão espectáculos tauromáquicos, porque uma NOVA ORDEM se instalará no mundo em 2013.

 

E queremos ver qual dos governantes dos oito países tauricidas se atreverá a desafiar o indesafiável.

 

Ou que tauricidas e afins ousarão enfrentar o abismo.

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:27

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

«O ANIMALISMO, LÁGRIMAS E COMPROMISSO»

 

(Imagem retirada da Internet)

 

 

UMA EXCELENTE VISÃO DO QUÉ É SER ANIMALISTA E OS SEUS MOTIVOS, QUE PARTILHO INTEIRAMENTE

 

 

Por Julio Ortega Fraile

 

«Uma luta tão dura quanto imprescindível. Uma luta que não cessará até que sejam alcançados os nossos objectivos.

 

 

Esquecidos pela maioria dos políticos, ignorados por quase todos os meios de comunicação social, desprezados por uma boa parte da sociedade, insultados e ameaçados pelos que fizeram do maltrato de seres vivos o seu código moral e a sua fonte de receitas. Na verdade, alguém crê que ser animalista é pera doce?

 

Por dinheiro não é. Aqueles que querem encher os bolsos ou sobreviver à custa dos animais dedicam-se a explorá-los sem contemplações, nunca a defendê-los.

 

Tao pouco é pelo prestígio social, não num país onde os toureiros são heróis, onde os cortesãos com intenção de subir na vida vão à caça com o Rei, banqueiros, grandes empresários ou ministros, e onde um casaco de peles é sinónimo de “glamour”.

 

Nem por moda. Não é uma grande aposta para se obter uma boa imagem social, que te acusem de sectário, lunático, vadio, ou anti-sistema, ou que as tuas actividades dentro e fora das redes sociais sejam controladas como se fosses um constante suspeito.

 

Nem é porque os que proteges te vão fazer homenagens. Os animais desconhecem tanto os que os matam como os que os defendem. Só sabem que querem viver, como tu, como eu, como qualquer um.

 

Então o que está por detrás do activismo pelos animais?

 

A decisão tem uma origem comum: a informação, que em alguns casos conduz à reflexão, e daí, às vezes, não muitas, à tomada de um compromisso.

 

Quando a reflexão surte efeito, é seguida de incredulidade, raiva e dor, sentimentos que, embora nos causem danos, são absolutamente necessários para darmos o passo seguinte: ir à luta com determinação imprescindível para actuar, com o preço indispensável para enfrentar as consequências, com a força necessária para não nos deixarmos vencer pelos fracassos, para assumirmos a incompreensão de amigos e estranhos, para suportar os ataques e para conviver com as terríveis feridas que se abrem, ao entrarmos no inferno eterno onde ardem os animais.

 

Chegados a este ponto é fácil entender que as pobrezas humanas: a brutalidade, o cinismo, a falsa compaixão, grosserias, ameaças ou ofertas não funcionam quase nunca no animalismo, e isso é o que mais perturba aqueles que estão acostumados a fazer da violência, do egoísmo ou da ganância os seus padrões de conduta e moeda de câmbio.

 

Por isso, e depois de ter sido, como muitos outros, envolvido nesta causa cheia de contínuas agressões, posso assegurar que tudo isto só vem reforçar os meus objectivos, porque ao sofrimento real dos animais, às razões mesquinhas que o apoiam e à indiferença social perante um drama com milhões de mortes cada dia, soma-se a convicção de que quem utiliza estratégias tão tacanhas para que nada disso mude, não merece a menor abertura de impunidade, nem um pouco de compreensão, nem uma expressão de cumplicidade, nem um minuto de descanso.

 

 E tal não lhes daremos, claramente que não o faremos, porque eles tão pouco dão tréguas aos animais que condenaram, apenas porque são de outra espécie.

 

Não, ser animalista não é pera doce, mas alimenta-se de ética a consciência, ainda que muitos prefiram continuar a viver com fome moral.»

 

Julio Ortega Fraile

 

@JOrtegaFr

 

Delegado de LIBERA! en Pontevedra

 

Fonte:

http://www.kaosenlared.net/component/k2/item/37704-el-animalismo-l%C3%A1grimas-y-compromiso.html

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:46

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 15 de Novembro de 2012

NÃO MAIS DINHEIRO PARA TOURADAS

  

 

Fundación Franz Weber

 

Por toda a Europa está a debater-se se se deve dar continuidade ou não aos subsídios que as corridas de Touros recebem. É muito importante que digamos aos EURODEPUTADOS a nossa opinião a este respeito.

 

Para tal, a “Fundación Franz Weber” está a lançar uma campanha denominada  “#NOmoreFunds”, na qual todos devem participar e divulgar.

 

Somos milhares em todo o mundo, mas desconhecemos o poder que temos; hoje teremos a oportunidade de demonstrá-lo.

 

PARTICIPA nesta ACÇÃO.

 

Utiliza HOJE o HT #NOmoreFunds.  

 

NÃO MAIS SUBSÍDIOS EUROPEUS PARA A TORTURA DE ANIMAIS!

 

#NOMOREFUNDS é uma campanha promovida pela «Fundação Franz Weber», com o objectivo de denunciar o uso de fundos europeus para financiar a tauromaquia em Espanha, Portugal e França.

 

Durante os últimos anos temos investigado centenas de exemplos de financiamento encoberto de equipamentos taurinos, empresas relacionadas com determinados órgãos de comunicação social e até organizações criadas por toureiros. A estes juntam-se os subsídios que provêm da Política Agrária Comum, dos quais beneficiam anualmente ganadeiros de Touros de lide…

 

Queremos mostrar a eurodeputado e eurodeputada a realidade da tauromaquia, um sector que sobrevive graças a subsídios, e que por razões de ética, respeito para com os animais e coerência social devem acabar.

 

Para isso #NOMOREFUNDS oferece uma plataforma de “microblogging” para que qualquer usuário de Twitter possa dizer em poucas palavras aos seus representantes, que façam todo os possíveis para acabarem com as ajudas europeias às corridas de Touros.»

 

http://www.nomorefunds.org/nomore

 

Nesta campanha está em jogo a continuidade dos subsídios que o sector taurino recebe da União Europeia, que são mais de 70 milhões de Euros por ano.

 

Seria um grande avanço convencer os eurodeputados a utilizar esse dinheiro em outros sectores.

 

http://www.nomorefunds.org/

 

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:44

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

EIS UM COMENTÁRIO INTELIGENTE AO «COMENTÁRIO» IDIOTA QUE AQUI PUBLICÁMOS RELATIVAMENTE AO ABATE A TIRO DE BOVINOS EM IDANHA-A NOVA

 

 

O TEXTO QUE SE SEGUE ESTÁ EDITADO NA ÍNTEGRA

 

antonio lopes, deixou um comentário ao post REPÚDIO PELO ABATE DE BOVINOS NA ALDEIA DE SEGURA (IDANHA-A-NOVA) às 22:17, 2012-11-14.  

 

«Li o seu blog com atenção, tendo todo o direito a ter a sua opinião, apenas lamento que escreva sem ter verificado os factos que apresenta, pois saia do seu gabinete, apanhe um pouco de ar e desloque-se aos locais que descreve com tanta eluquencia, fale com as pessoas que aqui vivem, então depois relate os factos e emita as suas opiniões, sem omitir os factos que não lhe interessa, então poderá colocar no seu corriculum, que é jornalista.

 

Como verifico que não conhece os factos vou referi-los: Não digam asneiras sem ter conhecimento do que se passa, pois vou vos esclarecer. Esta situação arrasta-se a 12 anos com um proprietario de 1100 ha que colocou na sua exploração 150 bovinos de raça brava, sem ter infras estroturas adequadas (a propriedade não esta devidamento vedada e não tem mangas de contenção).
 
A partir daí nunca mais cumpriu com os seus deveres de prorietário e responsavel pelos os bovinos, isto é nunca mais efectuou despiste de doenças, nunca mais identificou animais, nunca recolheu cadaveres,nunca alimentou os sus animias em periodos de carencia, nunca mais vendeu ou comprou bovinos, isto é abandonou a exploração.

 

O que motivou que em exploração não vedada os animais saissem a procurar alimento inportunando vizinhos, destruindo culturas, levando ao abandono de terras e espanhando-se os animias por um a area de cerca 3000 ha. Infelizmente nesta região existe tuberculose bovina em bovinos e espécie cinegéticas o que tem originado um grande esforço economico dos produtores de bovinos em efectuar diversas vezes por ano trabalho de despistagem, trabalho este que é invalidao por este bovinos assilvestrado não o efectuarem.

 

No entanto há algumas pessoas que tiram proveito de tanta incuria nestes anos todos, alguns locais que abatem clandestinamente bovinos e introduzem a sua carne em mercados paralelos. Aos que interrogam o que foi feito? pois queiram saber que a atitude de matar os animais a tiro só foi tomada como ultimo recurso.

 

Em setembro 2011 foi iniciada a captura dos animias pelos metodos tradicionias tendo sido encerrados 28 bovinos que foram conduzidos ao matadouro. Nesta data abateram-se a tiro 16 bovinos (touros adultos por segurança do pessoal interveniente), lembrem-se que se trata de touros bravos. Após esta data o proprietário solicitou a possiblidade de ele proprio capturar os seus animias, pretenção atendida.

 

Como de setembro de 2011 a abril de 2011 ele não tivesse capturado nenhum bovino ou desemvolvessse qualquer atitude, em junho de 2011 entraram em acção campinos profissionais de Benavente e Vila franca, que após intensso e empenhado trabalho apenas conseguiram encerrrar 8 bovinos, conduzidos a matadouro.

 

A partir daqui e após a morte de um pastor, que pacatamente apascentava o seu rebanho na sua propriedade localizada nas imediações e colhida grave sofrida por um caçador, por mais que gostemos de animais, não resta alternativa do que abater estes bovinos a tiro. Alem destes acidentes recentes existe um largo historial de acidentes com viaturas, destruição de culturas, agressões a residentes locais com braços, costelas partidos outro que perdeu um olho etc.

 

Que fique esclarecido, pois estou certo que pelo menos pessoas dignas não emitirão mais comentários idiotas.» 

 

***

Senhor antonio lopes, quanto a mim, fiquei ESCLARECIDÍSSIMA, com esta sua explicação de mestre.

 

Realmente foi preciso publicar neste Blog um “comentário” IDIOTA, para alguém muito ESCLARECIDO vir repor a verdade dos factos. Afinal NÃO É VERDADE que os bovinos padeciam de tuberculose e eram portadores da doença das vacas loucas…

 

Apenas estavam ali, nos pastos, a pastar tranquilamente… E vai daí...

 

Penso que ficámos todos a saber o motivo por que em Idanha-a-Nova se ABATE BOVINOS A TIRO, que é algo muito condizente com a cultura culta e civilização enraizadas  por esses lados.

 

Agradeço, ao senhor antonio lopes a amabilidade do seu gesto altruísta, de vir esclarecer o ABATE A TIRO de bovinos que cometeram o CRIME de terem ido pastar para a uma terra tão civilizada.

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 09:53

link do post | Comentar | Ver comentários (3) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 14 de Novembro de 2012

EM VALENCIA (VENEZUELA) CRIANÇAS E ADOLESCENTES ESTÃO PROIBIDAS DE ASSISTIR A TOURADAS – EM PORTUGAL ENSINAM-NAS A MATAR TOUROS PARA DIVERSÃO

 

 

Em Valencia, as crianças e adolescentes estão proibidas de assistirem a corridas de touros.

 

O Tribunal de Protecção a Crianças e Adolescentes do Círculo Judicial do Estado de Carabobo, determinou medidas de protecção, solicitada pela Defensoria do Povo, a qual proíbe meninos e meninas e adolescentes a assistirem a corridas de Touros, em Valencia, durante a Feira Internacional daquela cidade. Esta medida estende-se a qualquer espectáculo taurino aqui realizado.

 

Deste modo, fica agora proibido em toda a Venezuela o ingresso de crianças e adolescentes a corridas de Touros, uma vez que Carabobo era o único Estado em que tal  era permitido.

 

Fonte:

http://noticiaaldia.com/2012/11/prohiben-asistencia-de-ninos-y-adolescentes-a-las-corridas-de-toros-en-valencia/

 

***

 

Isto acontece na Venezuela.

 

E em Portugal, que medidas já foram tomadas para PROTEGER as crianças destes espectáculos violentos e sanguinários?

NADA.

 

ABSOLUTAMENTE NADA.

 

Pelo contrário.

 

O governo português não só permite que crianças MENORES de SEIS ANOS assistam a touradas (a lei diz maiores de seis, mas as menores vão lá e ninguém faz nada), como APOIAM as escolas taurinas onde se ENSINAM ÀS CRIANÇAS A VIOLÊNCIA E A MATAR TOUROS.

 

Realmente o nosso país está muito bem entregue, as governantes que são o cúmulo da inteligência e lucidez.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:26

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

A ESTUPIDEZ E A VIOLÊNCIA TRANSMITIDAS ÀS CRIANÇAS É UM CRIME NÃO PUNÍVEL EM PORTUGAL, MAS DE GRAVES CONSEQUÊNCIAS PARA O FUTURO

 

 

Estas crianças serão os futuros psicopatas: sádicos e violentos.

 

E quem se importa?

 

Milhares de Euros são gastos para “dar formação” a estes candidatos a torcionários, para os ganadeiros restaurarem os seus solares e comprarem os seus carros de topo.

 

E quem se importa?

 

É este tipo de EDUCAÇÃO consentida por um governo que não sabe o que faz.

 

E quem se importa?

 

A idiotice herda-se.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:54

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

REPÚDIO PELO ABATE DE BOVINOS NA ALDEIA DE SEGURA (IDANHA-A-NOVA)

 

 

Direcção Geral de Alimentação e Veterinária abate touros em Idanha-a-Nova, seguindo a política da “Cultura da Morte”, numa época em que já não se justifica uma tal atitude inadequada à EVOLUÇÃO… Que cavernícolas estarão à frente da DGAV?  
 

 


Exmos. Senhores:

 

Conforme veiculado pela comunicação social sabemos que está a decorrer um abate indiscriminado de bovinos em Idanha-a-Nova.
 
Trata-se de uma operação envolta numa crueldade típica dum país do terceiro mundo. Aliás nem típica do terceiro mundo, uma vez que países há com esta "classificação" que ao invés de colocar em prática massacres destes investem em soluções racionais e éticas que não passam por resolver os problemas a tiro.
 
Abater bovinos a tiro, neste caso vacas, algumas grávidas outras acabadas de dar à luz, como descrevem alguns relatos, é um acto no mínimo próprio de quem desenvolveu algum tipo de patologia do foro psicológico resultando numa mente profundamente desalinhada.
 
Não se resolvem problemas a tiro.
 
Assim sendo e tendo em conta que:
 
- este caso se arrasta há cerca de 10 anos, sem que nada tenha sido feito até agora pelas autoridades competentes para evitar chegar-se à situação actual;
 
- o cenário descrito pelas autoridades é o de uma área de cerca de 2000 hectares de terreno abandonado com 250 a 400 bovinos, encontrando-se o proprietário incontactável;
 
- não há certeza quanto à causa da morte de um habitante local pois a investigação está ainda em curso;
 
- os receios da população se prendem com a falta de segurança resultado da vandalização das vedações;
 
- as declarações da DGV sobre o assunto são vagas e contraditórias - por um lado diz não conseguir capturar os animais e por outro refere que foi detectado no MATADOURO um caso de BSE proveniente da zona, o que contradiz a afirmação anterior, além de não especificar a data em que foi detectada a doença; ora como a BSE só se transmite de forma vertical, de mãe para filho, ou através da ração, mais uma vez a DGV se contradiz, pois se o terreno está ao abandono e ninguém lá entra, seguramente que os animais não estarão a ser alimentados com ração, mas sim com o pasto existente, impossibilitando assim a transmissão da doença;
 
Vimos desta forma solicitar a V. Exas que:
 
- interrompam de imediato a operação em curso porque não é ao tiro, numa indiscriminada e sanguinária operação, que se resolvem os problemas, sobretudo quando as maiores vítimas serão as que em nada contribuíram para a situação a que se chegou;
 
- a Câmara Municipal disponham de verbas para reparar as vedações, já que estas foram danificadas por actos de vandalismo;
 
- sendo o terreno exemplar para manter estes animais em liberdade, não havendo por isso razão para os resgatar e muito menos abater, sendo necessário apenas garantir que têm onde se abrigar e acesso a água (o próprio terreno providencia o pasto), evitando desta forma que se aproximem das zonas habitadas, procedam as autoridades competentes com vista a tomar posse administrativa do terreno e enveredar os necessários esforços para tornar este local um santuário, o primeiro do género em Portugal, e que poderá até tornar-se um polo de atracção turística, se tal projecto for devidamente pensado e colocado em prática;
 
Da mesma forma que V. Exas. tiveram competência para detectar os alegados casos de BSE, e a capacidade de organizar a operação de abate indiscriminado, terão também capacidade para tomar as necessárias diligências no sentido de permitir a vida livre e saudável dos animais ao mesmo tempo que asseguram a necessária segurança dos habitantes locais.
 
Na expectativa de que este apelo não caia em saco roto, continuaremos atentos ao desenvolvimento dos acontecimentos.
 
Melhores cumprimentos,

 

Isabel A. Ferreira

 

Fonte:

https://www.facebook.com/groups/CampanhaAntitouradasPortugal/464213756950742/?comment_id=464232976948820&ref=notif&notif_t=group_comment_reply#!/events/302399266537968

 

***

 

ESCREVAM E REPUDIEM E PROTESTEM PARA:

 

dirgeral@dgv.min-agricultura.pt, secretariado.direccao@dgv.min-agricultura.pt; secretariado.direccao@dgv.min-agricultura.pt; cmidanha@gmail.com; turismo.cmidanha@iol.pt; info@turismodenatureza.com; agencialusa@lusa.pt; relacoes.publicas@tvi.pt; agenda@tvi24.pt; contacto@siconline.pt; atendimento@sic.pt; agenda.informacao@rtp.pt; SANCO-animal-welfare@ec.europa.eu; ceras_cb@tugamail.com; quercus_cb@sapo.pt; ceras.quercus@gmail.com

Com CC para: portugalabolicaotouradas@gmail.com

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:53

link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 13 de Novembro de 2012

«Argumentativo-touradas em Portugal» ou a incrível visão deformada de uma mulher que cresceu no mundo da ignorância e da violência

 

 

 

Esta é a imagem “fascinante” descrita neste texto…

 

 

Eis um texto que poderia ter sido escrito há dois mil anos atrás. Mas foi escrito em 2011, e poderia ter sido escrito hoje.  

 

O que sabemos é que foi escrito por alguém que nasceu e cresceu sem conhecer outro mundo que não o da violência e crueldade.

 

A linguagem é original.   

 

Em “bolt” vão os nossos comentários.

 

«Argumentativo – Touradas em Portugal

Sábado 22 de Outubro de 2011

 

Tourada é um espectáculo típico em Portugal, que consiste numa lide de toiros bravos. É considerado um património material, em que muitos dizem que evoluiu a cultura, pois faz parte de um património e há que defende-lo.

 

No entanto, começa a haver grupos de defesas dos animais a oporem-se a esta arte tão apreciada por alguns, pois dizem que os animais sofrem de dores insuportáveis e acham que é uma crueldade sem nenhuma justificação que não esta incluída em nenhuma tradição humanista. Li um texto de uma mulher que falava de touradas com se fosse algo de uma tremenda crueldade, qualquer apreciador de tauromaquia poderia ficar assustado com as suas ideias, a algumas completamente erradas. E dizia assim:

 

(Antes de continuarmos a leitura, uma observação: a “mulher” que falou das touradas como uma desmedida crueldade, disse uma GRANDE VERDADE).

 

Dias antes do espectáculo, são colocados pesos sobre as costas do touro que lhe causam muitas dores. Um dia antes, é posto num recinto escuro, sem água ou alimento. Dão-lhe laxantes, provocando diarreias que o desidratam. As pontas dos chifres são cerradas, tornando-se sensíveis e dolorosas a qualquer toque. Os seus olhos são besuntados com vaselina, o que dificulta a visão. Quando a porteira se abre e ele entra na arena cheia de claridade, está fraco, debilitado, dolorido e sem enxergar direito. As roupas coloridas e cheias de lantejoulas dos toureiros confundem ainda mais a visão do animal. Montados a cavalo, os "picadores" iniciam a tortura. Lanças são espetadas em suas costas, perfurando-as até o pulmão”.

 

(Uma descrição absolutamente REAL)

 

Bem, claramente a pessoa que disse isto é a favor dos direitos dos animais e tudo mais, mas as afirmações dela só vêem o lado mau exagerando até no que diz. Tirando partido da brutalidade e do sangue derramado nessas touradas, pensado que conseguem proibir não só as touradas de morte mas também as touradas sem touros de morte, um acto que acho que é impossível no meu ponto de vista.

 

(Claramente que uma pessoa bem formada, educada, culta e lúcida é a favor dos DIREITOS DOS ANIMAIS, sejam eles humanos ou não-humanos. Todos somos seres vivos, que partilhamos o mesmo Planeta. Logo, todos temos direito a viver a nossa vida e a deixar viver a dos outros. E também claramente a brutalidade de uma tourada não é um acto digno de seres humanos).

 

A tauromaquia é uma arte, reconhecida e classificada como tal no estado Português. A arte para mim não se discute, cada um tem os seus gostos, e cada um vê aquilo que quer.

 

Ainda para mais, para muitas zonas do nosso país é uma óptima forma para ajudar na economia pois chama vários turistas a assistir a algo que não podem assistir em muitos locais, contribuindo para o desenvolvimento das populações locais.

 

Também contribui ecologicamente para a preservação da espécie, pois caso não houvesse touradas já estaria extinta e no meu ponto de vista é muito menos doloroso para o animal ser morto na arena a “sangue frio” do que por vezes esperar para ser o dia de ir para o matadouro. Mas no entanto existem animais que sofrem muito mais por causa de pessoas, que por vezes até se dizem defensores dos animais, tomando como exemplo o abandono dos cães e dos gatos esta situação acontece mais no Verão quando os donos dos animais pensam em ir de férias sem nenhuma preocupação. Mas de certeza absoluta que ainda ninguém viu nenhum touro abandonado pela rua, ou a morrer no pasto com falta de comida.

 

(Pois o ponto de vista de quem escreveu este texto é completamente distorcido. A TORTURA É ARTE? Nem entre os homens primitivos o foi. Ajudar a economia? De quem? Dos ganadeiros ociosos, que vivem  à custa do erário público, dos impostos do povo, à custa de uma diversão para sádicos? Antes de vir para aqui escrever disparates, devia saber que o TOURO “BRAVO” não existe na Natureza, logo, jamais se extinguirá.

 

E na verdade é muito “ecológico” o que fazem com os pobres animais! “Ser morto na arena a “sangue frio”... Isto será ecológico ou sádico? E depois aplaudem. E gritam “olés”.

 

E lá tinha de vir a conversa dos cães e dos gatos. Quem é a favor das touradas argumenta com a ignorância. É o que têm à mão. Nunca ninguém viu um Touro abandonado na rua. Não. Mas alguma gente vê Touros a serem torturados numa arena, e GOSTAM. E APLAUDEM.

 

Isto tem um nome, é uma doença e trata-se no psiquiatra.

 

Será que alguém tem o direito de impedir os cidadãos de se divertirem, assistindo a um espectáculo tauromáquico? Sobretudo se o divertimento faz parte da tradição da festa brava enraizada pelo menos, numa parte do povo?

 

(Ninguém tem o direito de impedir que os cidadãos se divirtam com divertimentos NORMAIS. Mas temos o direito de impedir que cidadãos se divirtam assistindo à TORTURA DE TOUROS E CAVALOS, simplesmente porque estes não têm voz, não podem gritar o QUERER deles, e por isso temos nós o DEVER de os defender dos HOMENS PREDADORES. E a tradição é a personalidade dos imbecis, disse Albert Einstein, e nós concordamos).

 

Não será verdade que a liberdade de proibir os outros vai contra a liberdade de cada um assistir?

 

(Ninguém tem a liberdade de proibir ninguém de assistir ao que quer que seja. O que temos é o DEVER de DEFENDER A VIDA de SERES VIVOS INOCENTES. Agora, ninguém pode ter a liberdade de TORTURAR nenhum ser humano ou não-humano, em nome da DIVERSÃO. Isso tem um nome. É uma doença e trata-se no psiquiatra.

 

Mas também não será verdade que a liberdade de cada um termina onde começa a dos outros?

 

(A liberdade de cada um acaba quando COMEÇA A LIBERDADE DO TOURO, um ser vivo, com direito à VIDA, como quem escreveu estas linhas tão mal-amanhadas, impensadas, desconstruídas).

 

Sou Portuguesa, e acho que como tal não devo opor-me as minhas tradições, desde pequena que assisti a touradas, vacadas e largadas e tenho a dizer que é um excelente espectáculo, aconselho a todos os que como aquela mulher que disse tais exageros a pensar no “porque” e no “para que” é que os touros existem afinal, e porque é que tanta gente tem gosto em ver tal espectáculo… Assistam a uma boa tourada e logo verão o que fascina tantas pessoas.

 

(Pois o problema é esse mesmo: a falta de uma boa instrução, de uma boa educação e de uma boa formação moral desde a infância. Esta portuguesa cresceu rodeada de violência, de crueldade, de sangue, de tortura, e não sabe que existe outro mundo, pacífico, harmonioso, culto. Aconselha a ver uma “boa tourada” da qual aqui deixo uma imagem “fascinante”...

Isto tem um nome. É uma doença e trata-se no psiquiatra).

 

Publicada por Científicos 2010-11 ESQM em 16:11

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 12:00

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 12 de Novembro de 2012

Em 2013, as práticas sanguinárias taurinas serão enterradas – “Os Ceifeiros da Morte da Tauromaquia” levantam uma ponta do véu…

 

 

(Imagem retirada da Internet)

 

Poderíamos apontar apenas o seguinte motivo: a tauromaquia está moribunda, já em fase terminal. Basta desligar-lhe a “máquina” e ela sucumbirá.

 

Há por aí uns sonhadores,  que dizem que esta prática está de boa saúde e recomenda-se.

MENTIRA. Isso é um golpe de publicidade desesperada para se enganarem a si próprios. Porque ao mundo já não enganam mais.

 

No há ninguém que possa desmentir-nos, com propriedade. Até os próprios tauricidas o sabem.

 

Dizem-no as arenas vazias de gente, não só em Portugal, como nos outros países.

 

Mas muitos outros motivos podem ser acrescentados à moribundez da tauromaquia, os quais levarão à sua morte certa, em 2013.

 

Preparem-se os tauricidas e todos aqueles que os apoiam, porque os “Ceifeiros da Morte da Tauromaquia” (CMT)  

os

REAPERS OF BULLFIGHTING DEATH (RBD)

SEGADORES DE LA MUERTE DEL TAUROMAQUIA (SMT)

FAUCHEURS DE LA MORT DE LA TAUROMACHIE (FMT)

 

estão a trabalhar afincadamente para que esta psicopatia social seja extinta, como foram extintas outras “moléstias sociais”, ao longo da história da humanidade.

 

Antes de prosseguir deixaremos aqui alguns apontamentos para melhor se entender o que é esta doença:

 

Clinicamente, um psicopata é definido como alguém com altos índices de falta de empatia, culpa e remorso (tudo o que os tauricidas e aficionados não sentem em relação aos animais que torturam, com prazer). De acordo com os especialistas, isso prova que estes psicopatas têm falta de aptidão emocional, bem como muitos são até considerados intelectualmente incapacitados. O cérebro deles possui níveis pequenos de densidade no sistema límbico, logo esses indivíduos possuem uma desordem cerebral, que leva a cometer estes actos criminosos contra seres vivos inocentes e indefesos.

 

Nas "escolas" de tauromaquia, como a da Moita, a de Alter do Chão e a de Vila Franca de Xira (apenas para citar as mais famosas pela negativa), as crianças que as frequentam são potenciais candidatas a psicopatas, a sádicas, e a práticas violentas. E não há ninguém que as proteja dos criminosos que as ensinam como torturar e matar um ser vivo.

 

Todos sabemos que este é um problema político, que só os governantes podem resolver. Também sabemos que há psicopatas e aficionados infiltrados nos governos, que impedem os países tauricidas de evoluírem.

 

O PODER é útil quando é utilizado em prol da Humanidade e da Natureza, e não na sua destruição.

Os governantes têm de ser dotados de uma razão e de uma inteligência construtivas, para poderem atingir um saber construtivo e serem capazes de exercer um poder construtivo, vivendo e actuando com ÉTICA. Se os actos deles causarem danos aos outros não são éticos. Se assim não for,  serão apenas os parasitas e as ervas daninhas da sociedade, ou seja, uns inúteis.

 

Mas a tauromaquia é também um problema de consciência social, que ultimamente, para bem da civilização e da evolução, e principalmente dos Touros e dos Cavalos, tem despertado entre as populações, por todo o mundo, que já está farto de tanta ignorância e incompetência dos que mal governam os países que mantêm estas actividades sanguinárias, catapultando-os para a cauda da civilização.

 

Posto isto, podemos acrescentar mais alguns motivos:

 

O mundo evoluiu, e só os que vivem à custa da tortura de Touros e Cavalos não se aperceberam de que a tauromaquia é a actividade mais corrupta e putrefacta que envenena a sociedade.

 

O povo já não suporta governantes incultos, incompetentes e inúteis. Repudia-os veementemente. Estes, se não sabem, deviam saber que se não governarem conforme a inteligência intrínseca ao ser humano, transformar-se-ão em predadores, e ao apoiarem a tauromaquia, automaticamente passam um atestado de estúpidos a si próprios.

 

Dirá quem lê estas palavas: «E eles lá se importam com isso! Não têm vergonha na cara. O que querem é “o deles” dentro do bolso!»

 

É verdade. Os governantes, na sua generalidade, não têm vergonha na cara, porque só tem vergonha na cara quem tem HONRA, e eles não a têm. Nem honra, nem palavra, e estão-se nas tintas para os valores humanos. São uns zeros à esquerda. Mas o problema será deles.

 

O certo é que se chegados a 31 de Dezembro de 2013, eles não tiverem actuado conforme a vontade do mundo civilizado, no que respeita à Abolição da Tauromaquia, serão repudiados pelo mundo fora, e acossados como personas non gratas, como ervas daninhas, como parasitas da Humanidade.

 

Para já, uma coisa ninguém lhes tira: o título de IGNORANTES, que só lhes será retirado, se recuarem na sua política criminosa.

 

Serão marginalizados, como merecem.

 

Também a igreja católica, devido aos seus erros de interpretação da mensagem de Cristo, e porque é uma das beneficiárias, economicamente falando, das actividades tauromáquicas, está cada vez mais descredibilizada entre as populações, e será repudiada pelos seus actos nada cristãos, ao apoiar a tortura de seres vivos. Os tempos medievais acabaram, mas a igreja católica ficou nesses tempos.

 

Contudo, 2013 será o ano em que enterraremos as práticas taurinas, sangrentas e primitivas, essencialmente porque nós, “Ceifeiros da Morte da Tauromaquia” ACREDITAMOS no nosso plano infalível. 

Se, por acaso, este enterro não acontecer, saibam que será porque os GOVERNANTES não permitiram, optando, deste modo, por "governar" segundo as regras medievais.

 

E diremos mais:

 

Preparem-se aqueles que pensam que um animal não-humano não merece ser respeitado, e estejam atentos aos sinais (que já se vislumbram por toda a parte, é só saber interpretá-los) porque, inevitavelmente, ficarão à mercê da Lei do Retorno, infalível e implacável.

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:06

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Fevereiro 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
21
22
23
25
26
27
28
29

Posts recentes

Dois anos de guerra na Uc...

«Bicadas do Meu Aparo: “P...

Na passagem do 97º aniver...

Aleixei Navalny, um símb...

Os Defensores dos Direito...

Legislativas 2024 - Movim...

Os Polícias são traidores...

João Moura condenado: jus...

24 de Janeiro de 1944: ao...

«Bicadas do meu aparo: “S...

Arquivos

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

AO90

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, nem publica textos acordizados, devido a este ser ilegal e inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais. Caso os textos a publicar estejam escritos em Português híbrido, «O Lugar da Língua Portuguesa» acciona a correcção automática.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt