Sábado, 8 de Setembro de 2012

“ TORO DE LA VEGA”, EM TORDESILHAS, UM RITUAL COVARDE, DOS MAIS PRIMITIVOS E CRUÉIS DE QUE HÁ MEMÓRIA

 

 

Durante o "Toro de la Vega", um "festival" que ocorre no mês de Setembro em Tordesilhas, Espanha, um touro solitário é assediado e perseguido pelas ruas e num campo, onde os homens o esperam com lanças. O touro é então torturado e esfaqueado várias vezes até que cai no chão, mutilado, ferido barbaramente acabando por morrer depois de um sofrimento atroz.

 

Por vezes os testículos são-lhe cortados, enquanto ele ainda está vivo.

 

No ano passado, foi o Touro “Afligido”,  que significa "triste" em castelhano,   o qual morreu depois de ser golpeado na cabeça com uma chave de fenda.

 

Este ano é o desventurado "Volante".

 

 

Isto é mais do que monstruoso.

 

Isto faz-se em nome de uma “tradição” que não tem qualquer razão de existir.

 

Isto faz-se porque não há uma autoridade lúcida capaz de ver a crueldade de tal ritual, que nem os homens mais primitivos faziam

 

Por favor, escrevam (EU JÁ ESCREVI) para o Ministério Regional de Cultura e Turismo, para o Alcaide de Tordesilhas, e para a Secretaria de Turismo de Tordesilhas a incitar as autoridades para acabar com esta cruel e sádico "celebração" pagã, para festejar uma Santa Católica.

 

Escrevam para

Alicia García Rodríguez

Conselheira do

Ministério da Cultura e do Turismo, Castela e Leão

lophermt@jcyl.es

 

EIS O PERFIL DE UM MOSTRO, O ALCAIDE DE TORDESILHAS:

 

http://www.schnauzi.com/jose-antonio-gonzalez-poncela-alcalde-de-tordesillas-defiende-el-toro-de-la-vega/

 

Ajudemos a acabar com esta crueldade, perpetrada por um bando de covardes, de sádicos, de monstros e de bêbados.

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:27

link do post | Comentar | Ver comentários (8) | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 7 de Setembro de 2012

CONDENAÇÃO INTERNACIONAL DA TAUROMAQUIA EM PORTUGAL, ESPANHA E FRANÇA

 

 

 

 

VEJAM E OUÇAM ATÉ AO FIM, ESTA CONDENAÇÃO. VALE A PENA.

 

PORÉM, O QUE SE FEZ COM ELA?

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:21

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

A propósito do comunicado do "Grupo de Forcados Aposento da Moita», relativo ao azar de Nuno Carvalho

 

0[1].jpg

 

Repare-se na quantidade de bandarilhas que ferem o corpo do Touro, dorso rasgado, a sofrer dores horrorosas... E o Nuno Carvalho, ali, diante de um Touro ferido, desconhecia que seria a última vez que poderia utilizar as suas pernas... Isto não bastaria para acabar hoje mesmo com esta aberração?

 

«Devido à fatalidade que ocorreu no dia 30 de Agosto de 2012, na praça de toiros do Campo Pequeno, o forcado Nuno Carvalho "Mata", ficou com diversas lesões das quais ainda não se conhece um relatório médico definitivo.

 

No entanto o caminho será longo e para que seja possível a sua recuperação e para que possa ter uma vida digna, foi aberta uma conta no banco BPI (nib - 0010 0000 4861967000104), a qual está aberta de forma a que qualquer cidadão possa contribuir com o seu donativo.

 

Devido à urgência da situação, a conta não está filiada a nenhuma associação, no entanto esperamos com a maior brevidade poder constituir essa mesma associação de forma a que este projecto de recuperação ganhe formas credíveis e mais eficazes.

 

Em nome de todo o GFA Aposento da Moita agradecemos mais uma vez todo o apoio que o "Mata" tem recebido.

 

 GFA Aposento»

 

***

 

Estou aqui a “remoer” estas palavras, e a pensar naquilo que sou. Abomino a vingança. Não aplaudo as desgraças que acontecem aos outros, muito menos a jovens que poderiam ter optado por viver com honra, e preferiram a desonra.

 

Este jovem, Nuno Carvalho, de apenas 26 anos, escolheu ir massacrar Touros moribundos para uma arena. Nunca pensou que pudesse acontecer-lhe algo assim: ficar paraplégico o resto da vida, apenas porque entendeu que “valentia” era colocar-se diante de um Touro ferido, o qual reuniu as últimas forças que lhe restavam para, legitimamente, se defender dos seus carrascos.

 

Este jovem não mediu as consequências da sua escolha de vida.

 

Porém, o que lhe aconteceu deveria servir de exemplo a todos os outros que ainda teimam em repetir a “proeza”. E se por uma sorte do destino, o Nuno Carvalho viesse a recuperar a sua saúde, iria novamente para a arena, massacrar Touros moribundos.

 

Até ao momento, não houve sequer um rasgo de arrependimento, por parte dele. Que se saiba. Até já se ouviu falar em realizar uma tourada para “angariar fundos” para ajudar o Nuno. Espero que tenham o bom senso de não o fazer.

 

Infelizmente o que faz o Grupo de Forcados a que ele pertencia?

 

Em vez de emitir um comunicado a expressar a inutilidade desta actividade, e terminar com ela, em homenagem ao colega que ficará paraplégico, em nome da cretinice, vem fazer um “peditório” para ajudar o tratamento do Nuno, que sim, tem todo o direito de ser ajudado.

 

Contudo, o dinheiro para ajudar este jovem, na sua desgraça, devia sair dos bolsos dos governantes que apoiam estas práticas, com as suas leis obtusas; da igreja católica que os abençoa; e dos ganadeiros que os exploram.

 

Estes é que são os verdadeiros culpados da situação do Nuno Carvalho. É a estes que se deve pedir explicações. São estes que permitem que jovens forcados e torcionários morram ou fiquem paraplégicos ou deformados, em nome dos interesses económicos de uns poucos, numa actividade grosseira, primitiva, nada condizente com uma sociedade da era da exploração espacial. Põe-se os pés de um homem na Lua, mas ainda se fica paraplégico, por massacrar Touros moribundos, numa arena.  

 

Os ganadeiros são ricos. A igreja católica é rica, os governantes ganham bem, eles é que têm a obrigação de ajudar quem eles permitiram que se colocasse em risco de vida.

São estes que devem abolir imediatamente estas actividades ignaras que atiram jovens (e este não é o primeiro) para uma cadeira de rodas.

 

Tenho muitas dúvidas se deveria contribuir para este “peditório”, quando há tanta gente para ajudar, neste momento de crise, com alimentos, e que nunca fizeram mal algum a ninguém, e são vítimas de um sistema podre. Fora a ajuda que também se tem de dar aos animais abandonados, porque esse sistema podre não funciona.

 

Tenho as minhas dúvidas. Preciso “remoer” um pouco mais as palavras deste “peditório”.

 

Acho que ninguém pretende vingar-se ao ponto de desejar tão triste sorte a um jovem, que teve a infelicidade de não saber ou de não lhe terem dado a oportunidade de saber, que torturar seres vivos não pode ser uma opção de vida.

 

Mas quando fazemos uma opção, temos de saber ser responsáveis pelas consequências dessas opções.

 

Espero que este jovem possa viver o resto da sua vida com a consciência tranquila... de quem fez a coisa certa, mas teve azar.

 

E aqueles (os governantes, a igreja católica e os ganadeiros) que durmam também em paz, se puderem, depois de terem atirado para uma cadeira de rodas um jovem que fez a opção que fez, porque existe uma lei que o PERMITE.

 

Isabel A. Ferreira

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:49

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

«OS “SENHORES DA PRÓTOIRO SÃO A FACE VISÍVEL (...) DA TAUROMAQUIA EM PORTUGAL...»

 

 

Os “senhores” da prótoiro...

 

 

Recebi este comentário que, por conter matéria do interesse público, vou aqui publicar em forma de artigo

 

 

Ricardo Almeida, deixou um comentário ao post UM RECADO PARA A PRÓTOIRO E PARA TODOS OS TAURICIDAS E AFICIONADOS QUE MENTEM SOBRE O “TOURO DE LIDE” às 13:14, 2012-09-07.

 

Comentário:

 

«Os “senhores” da Pró toiro são a face visível (e de certa forma acessível) da tauromaquia em Portugal. Trata-se de uma associação que é caracterizada por uma extrema cobardia, pobreza de espírito e ignorância, o que não é de estranhar dado ao tipo de pessoas que alberga.

 

Como muitos devem saber, existe uma página no Facebook da mesma, o que a torna um ponto preferencial para a discussão da validade da tauromaquia.

 

A par com as dezenas de páginas de associações anti touradas, esta deveria ocupar uma posição oposta no espectro desta temática, onde todas as pessoas deveriam ter oportunidade de expor e defender os seus argumentos, independentemente da sua natureza.

 

No entanto, para que tal acontecesse, era necessário existir um mínimo de seriedade e honra por parte dos membros de essa associação. Eu (orgulhosamente) faço parte de uma lista cada vez maior de utilizadores que foram bloqueados pelos membros da associação de comentarem ou mesmo visualizarem a dita página.

 

Terei insultado alguém? Violei as regras de conduta da página? Dificilmente. Eu até tenho muito cuidado para não cometer erros ortográficos nos meus comentários. A verdade é bem mais simples. A inexistência de argumentos que justifiquem a prática das touradas, aliados a uma comunidade anti taurina que cresce cada dia a olhos vistos, tornaram a manutenção de uma página deste tipo um autêntico pesadelo logístico.

 

Eis a minha história: há cerca de três semanas atrás fiz um comentário nessa página acerca do financiamento suspeito da indústria tauromáquica neste país. Obtive resposta quase imediata, mas através de argumentos falaciosos e sem qualquer consistência. Mas eu não estava apenas a referir uma opinião. Eu estava a expor um facto e como tal tinha na minha posse documentos e testemunhos que comprovavam a minha suspeita.

 

As respostas continuaram, cada vez mais repetidas e arrogantes. Entretanto o tema da discussão mudou para a taxa de aprovação das touradas em Portugal. Mostrei-lhes a sondagem realizada pelo ISCTE em 2007, que mostra claramente que mais de 50% das pessoas inquiridas são a favor da abolição das touradas. Eles responderam-me com outro "estudo" que indicava que a taxa de aprovação das touradas em Portugal era superior a 80%. O problema é que esse documento tinha o logótipo da pró toiro em cada página e não fazia qualquer referência às típicas métricas estatísticas, como o número de pessoas inquiridas, sexo, proveniência geográfica etc..

 

Além disso, este valor simplesmente surgia numa das páginas sem qualquer outra indicação da sua proveniência. Obviamente que contestei este "estudo" apontando as dezenas de falhas grosseiras que apresentava, não obtendo qualquer tipo de resposta por parte da associação. Enquanto esta discussão decorria, verifiquei outro facto insólito: os meus comentários estavam a receber alguns "gostos" enquanto os comentários da pró toiro, na sua própria página, eram ignorados. Foi então que me dei ao trabalho de explorar alguns dos seus post , onde verifiquei que se encontravam pejados de comentários anti touradas!

 

Apercebi-me então que não era o único naquela situação! Naquela altura havia pelo menos uma dezena de pessoas a manifestar-se contra as touradas na página mais aficionada da Internet! Sei que não é tão forte quanto uma manifestação física, mas para quem se encontra longe (ou mesmo fora de Portugal como eu) é sempre uma ajuda.

 

Após isto, os senhores da pró toiro revelaram finalmente o seu carácter mesquinho. Meros minutos após o meu último comentário, toda a conversa foi eliminada da página (pois continuava a acumular "gostos") e na semana seguinte percebi que fora bloqueado da mesma, assim como provavelmente qualquer pessoa que os enfrentou directamente.

 

A pró toiro, tal como qualquer associação aficionada neste momento, está a ficar rapidamente sem opções. Como ignorantes que são, em vez de defenderem a causa em que acreditam, com a suposta "honra" e "valentia" com que entram na arena, limitam-se a esconder a cabeça na areia e a rezar para que a causa anti touradas desapareça por artes mágicas.

 

 Cara Isabel, peço desculpa pelo longo discurso, mas como este blog é bastante famoso, eu espero sinceramente que alguém da pró toiro passe os olhos por aqui e se envergonhe das suas atitudes cobardes.»

 

***

 

Caro Ricardo Almeida:

 

Só tenho a agradecer-lhe este excelente testemunho.

 

Também eu estou bloqueada nessa página, como nas páginas de muitos  aficionados. Como não conseguem justificar o que não tem justificação possível, bloqueiam quem tem palavras para dizer o que se deve dizer sobre a aberração social que é a tourada.

 

Para sua informação deixo aqui um link com umas sondagens credíveis e recentes acerca do que pensam os portugueses sobre a tourada:

 

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/152012.html

 

Não sei quão famoso será o meu Blog, Ricardo Almeida, mas sei que é “vigiado” pela prótoiro, dai ter a certeza de que lerão este seu comentário.

E eles nem sabem, nem sonham, o quanto estão a ajudar a Causa da Abolição das Touradas , com as suas atitudes.

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:19

link do post | Comentar | Ver comentários (10) | Adicionar aos favoritos

«AURORA DO LIMA» ENGANOU-SE NO TÍTULO DA NOTÍCIA, O QUE QUERIA DIZER ERA «FESTA BRAVA TROUXE TORTURA À ROMARIA»

 

 

ESTE JORNALISMO ENVERGONHA A CLASSE E É COMPLETAMENTE ANTI-PROFISSIONAL.

 

APLAUDIR A TORTURA E A VIOLÊNCIA NUM CABEÇALHO DE NOTÍCIA VAI CONTRA TODAS AS REGRAS JORNALÍSTICAS E HUMANAS.

 

VÊ-SE LOGO NA ARAGEM QUEM VAI NA CARRUAGEM...

 

UNS TROGLODITAS!

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:38

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

TOURADA VISTA COM HUMOR E MUITAS VERDADES DENTRO


 

VALE A PENA OUVIR ATÉ AO FIM...

tags: ,
publicado por Isabel A. Ferreira às 11:01

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 6 de Setembro de 2012

UM RECADO PARA A PRÓTOIRO E PARA TODOS OS TAURICIDAS E AFICIONADOS QUE MENTEM SOBRE O “TOURO DE LIDE”

 

 

Todos nós já sabemos das vossas mentiras.

 

Todos nós já sabemos que o que vos move é o interesse económico.

 

Todos nós já sabemos que o Sadismo é a vossa mola mestra.

 

Como pode um grupinho que não teve acesso a uma instrução adequada ter a pretensão de querer saber mais do que um Zoólogo?

 

Todos nós já sabemos que vós não tendes a mínima razão.

 

Rendei-vos às evidências.

 

Abandonem esta actividade (imprópria de seres humanos) com alguma dignidade (se é que a têm).

 

Não queiram ser atirados para o abismo como carcaças de uma espécie já em extinção.

 

Saiam pelo vosso próprio pé, enquanto têm carne e ossos.

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:26

link do post | Comentar | Ver comentários (6) | Adicionar aos favoritos

Doutor Vasco Reis, único médico-veterinário português que dá a cara e o nome pela causa da abolição das touradas

 

 

 

 

 

O cavalo chamava-se "Xelim" e pertencia ao torcionário português Rui Fernandes. Morreu (o cavalo) na Arena de Sevilha abandonado pelo seu dono…

 

O que aconteceu ao Xelim não deveria repetir-se com mais nenhum outro Cavalo, se houvesse consciência entre aqueles que apoiam e promovem tal selvajaria.

 

Em que país vivemos? Que consciências temos no Governo?

 

Vejam os vídeos. Eles dizem o que as palavras não podem exprimir.

 

 Basta de tanta cobardia!

 
©RebelPen
https://www.facebook.com/pyka.miolos

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:10

link do post | Comentar | Ver comentários (31) | Adicionar aos favoritos

«Coberto de sangue, atravessado de lado a lado por lanças... o Touro será torturado até à morte»

 

 

Nem o homem mais primitivo fazia isto... Caçava os animais para comer, mas não os torturava para diversão. E é esta gente tosca que se diz viver no Século XXI depois de Cristo?

 

 O INFERNO DO TORO DE LA VEGA.

Salvemos o VOLANTE que vai ser sacrifidado daqui a uns dias, às mãos destes maus selvagens...

 

Um texto que mostra ao negrume do mundo tauromáquico em Espanha, num ritual que terá lugar este mês... Mas em Portugal, o negrume também existe...

 

É a Península Ibérica primitiva e grosseira, ainda enfronhada no tempo dos dinossauros...

 

«ESPANHA NEGRA

 

La España negra é o título de um livro do pintor José Gutiérrez Solana (1886-1945) de leitura às vezes difícil e sempre incómoda, não por razões de estilo ou ineditismos de construção sintáctica, mas pela brutalidade do retrato de Espanha que nele é traçado e que não é outra coisa senão a transposição da sua pintura para a página escrita, uma pintura que foi classificada como lúgubre e “feísta”, na qual fez reflectir a atmosfera da degradação da Espanha rural da época, mostrada em quadros que não recuam diante da expressão do mais atroz, obsceno e cruel que existe nos comportamentos humanos.

 

Influenciado pelo tenebrismo barroco, muito em particular por Valdés Leal, é também evidente a impressão que sobre ele exerceram as pinturas negras de Goya.

 

A Espanha de Gutiérrez Solana é sórdida e grotesca no mais alto grau imaginável, porque isso foi o que encontrou nas chamadas festas populares e nos usos e costumes do seu país. Hoje, Espanha não é assim, tornou-se numa terra desenvolvida e culta, capaz de dar lições ao mundo em muitos aspectos da vida social, objectará o leitor destas linhas.

 

Não nego que poderá ter razão na Castelhana, nas salas do museu do Prado, no bairro de Salamanca ou nas ramblas de Barcelona, mas não faltam por aí lugares onde Gutiérrez Solana, se fosse vivo, poderia colocar o seu cavalete para pintar com as mesmas tintas as mesmíssimas pinturas.

 

Refiro-me a essas vilas e cidades onde, por subscrição pública ou com apoio material das câmaras municipais, se adquirem touros à ganadarias para gozo e desfrute da população por ocasião das festas populares.

 

O gozo e o desfrute não consistem em matar o animal e distribuir os bifes pelos mais necessitados. Apesar do desemprego, o povo espanhol alimenta-se bem sem favores desses.

 

O gozo e o desfrute têm outro nome. Coberto de sangue, atravessado de lado e lado por lanças, talvez queimado pelas bandarilhas de fogo que no século XVIII se usaram em Portugal, empurrado para o mar para nele perecer afogado, o touro será torturado até à morte. As criancinhas ao colo das mães batem palmas, os maridos, excitados, apalpam as excitadas esposas e, calhando, alguma que não o seja, o povo é feliz enquanto o touro tenta fugir aos seus verdugos deixando atrás de si regueiros de sangue. É atroz, é cruel, é obsceno.

 

 

Mas isso que importa se Cristiano Ronaldo vai jogar pelo Real Madrid? Que importa isso num momento em que o mundo inteiro chora a morte de Michael Jackson? Que importa que uma cidade faça da tortura premeditada de um animal indefeso uma festa colectiva que se repetirá, implacável, no ano seguinte? É isto cultura? É isto civilização? Ou será antes barbárie?

 

José Saramago, “Espanha Negra”- Junho de 2009»

 

http://caderno.josesaramago.org/49039.html

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:21

link do post | Comentar | Ver comentários (6) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 5 de Setembro de 2012

Pároco de Monforte apoia touradas

 

 

 

Depois de três anos encerrada, a praça de Touros de Monforte reabre com a benção do padre Johannes, o mesmo que vai fazer obras na paróquia com o dinheiro SUJO de SANGUE doas touradas.

Agora já sabemos porque é que o padre apoia as touradas em Monforte. 

Que VERGONHA!!!!!!! 

Isabel A. Ferreira 

 

Fonte: https://www.facebook.com/#!/photo.php?fbid=417301881661316&set=o.276743342425126&type=1&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:38

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Fevereiro 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
21
22
23
25
26
27
28
29

Posts recentes

Dois anos de guerra na Uc...

«Bicadas do Meu Aparo: “P...

Na passagem do 97º aniver...

Aleixei Navalny, um símb...

Os Defensores dos Direito...

Legislativas 2024 - Movim...

Os Polícias são traidores...

João Moura condenado: jus...

24 de Janeiro de 1944: ao...

«Bicadas do meu aparo: “S...

Arquivos

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

AO90

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, nem publica textos acordizados, devido a este ser ilegal e inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais. Caso os textos a publicar estejam escritos em Português híbrido, «O Lugar da Língua Portuguesa» acciona a correcção automática.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt