Terça-feira, 20 de Novembro de 2012

A feira do Cavalo da Golegã é um evento onde se torturam os animais

 

 

 

Texto de PAULA SOMMER

 

«No sábado fui à Feira da Golegã. Deparei-me logo cedo (pela manhã) com um cavalo de cascos grandes e peludos que puxava uma carruagem. Chamavam-lhe o "TÁXI". O preço de cada volta era de 3,5€ e ofereciam um pacote de castanhas. O percurso era feito na manga dos cavalos com o piso de terra molhado pelo que obrigava o animal a fazer um grande esforço. A seguir ao almoço volto ao mesmo sítio e o desgraçado do animal continuava na sua tarefa árdua de puxar uma carruagem com cerca de 10 a 15 pessoas. Os passeios eram interruptos já que a fila de pessoas para este passeio parecia não ter fim.

 

Ao princípio da noite volto à "Paragem" do táxi e o animal já se arrastava, a fila continuava imensa. Sem aguentar a situação dirigi-me a quem estava a cobrar os bilhetes e expus a minha indignação acusando a falta de respeito pelo animal que estava a ser usado na minha opinião para além dos seus limites. O Sr. explicou-me que aquele cavalo de cascos grandes, era um animal de trabalho habituado por isso a grandes esforços, não convencida comecei a falar com as pessoas da fila demovendo-as da ideia de pagar um bilhete para serem puxados por um animal em sofrimento... as pessoas olhavam-me com ar de critica e apenas uma família desistiu desta terrível viagem.

 

Fui falar com a Policia, que me encaminhou para o secretariado da Golegã... furiosa atropelei um monte de pessoas até conseguir chegar ao Secretariado. Fui atendida por uma Sra., que tentou por diversas vezes contactar o Veterinário de serviço, Dr. Ricardo, as redes estavam sobrecarregadas e a chamada desligava-se constantemente. a Sra., facultou-me o nº de telef. do VET, mas consegui apenas deixar uma msg de voz.

 

Saí da Feira por volta da 1hr da manhã e o Táxi, tinha saído uns minutos antes (não sei se voltou ainda essa noite) mas, a feira terminou ontem e soube que o pobre cavalo repetiu toda esta tortura durante o dia de ontem. Durante o dia fui assistindo a outras cenas não menos cruéis, vi cavalos a deitar sangue da barriga provocado pelas esporas dos cavaleiros, que insistiam em tocar o cavalo obrigando-o a fazer exibições, vi um pónei a puxar uma charrete com uma família inteira durante horas e era visível o seu esforço, mas o chicote impunha-se e o desgraçado lá continuava, vi cavalos desorientados no meio das pessoas que se empinavam, relinchavam de aflição, este cenário era apreciado de bom agrado.

 

Vi uma mulher que tentava colocar a sela e o cavalo estava inquieto e ela ia pontapeando a sua barriga, vi um cavalo que começou a tremer das pernas e caiu literalmente para o lado. Também vi bons cavaleiros e amigos dos seus animais, mas, todas as outras situações que testemunhei ainda estão presentes na m/memória. Esta Feira podia ser um espaço agradável e divertido desde que se respeitassem os animais

 

(O texto é da Paula Sommer, o título é da autora do Blogue).

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:55

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De joao a 21 de Novembro de 2012 às 21:33
epa tou tão arreliado, eu abocado tambem cheguei a minha rua e deparei me com o cao da minha vizinha sem roupinha, com este frio e humidade e indecente, acho que vou fezer queixa. o que acha?
De Isabel A. Ferreira a 22 de Novembro de 2012 às 09:22
ACHO QUE DEVE PROCURAR COM URGÊNCIA UM PASIQUIATRA PARA SE TRATAR.

SABE, É QUE VOCÊ SOFRE, COM TODA A CERTEZA, DE UMA QUALQUER PERTURBAÇÃO MENTAL.

DEVE TRATAR-SE.
De Vítor Pires a 23 de Novembro de 2012 às 12:50
Bom dia senhora Isabel Ferreira, jornalistas procuram apurar a veracidade das suas fontes antes de cairem no erro de publicar algo falso e difamador. A senhora alguma vez já foi á grande feira do cavalo que é a Golegã? Que movimenta portugueses e estrangeiros áquela vila a fim de se mostrar e ver a beleza do nosso cavalo lusitano? Senhora Isabel, não me leve a mal porque não venho aqui gozar com o seu "trabalho", mas animais a "deitarem sangue", um cavalo que se "arrasta"? A senhora que escreveu esse texto esteve noutra feira que não a Golegã e mais, se há gente que gosta destes animais são quem os tem e os alimenta, cuida e dá abrigo, não quem vem sabe-se lá de onde e por não saber manda umas "bujardas". Mas enfim, haja liberdade de expressão e alémd e achar o texto uma péssima peça de literatura, o titulo é completamente ofensivo para os habitantes da Golegã e aficionados da feira desta vila.

Obrigado pelo tempo que dispensou em ler este meu textinho e procure também não responder a quem lê os seus em CAPS LOCK e mandar procurar um "PASIQUIATRA", escreve-se psiquiatra.

Vítor Ginja Pires, aficionado.
De Isabel A. Ferreira a 23 de Novembro de 2012 às 17:59
Boa tarde, senhor Vítor Pires.

Agradeço este seu comentário, porque me dá a oportunidade de REAFIRMAR tudo o que a Paula Sommer, que é uma pessoa IDÓNEA, escreveu.

O que ela viu, muita gente vê, inclusive EU.
Portanto não fale daquilo que não sabe.
E à feira da Golegã vai-se a primeira vez para ver como é, e nunca mais lá põe os pés quem VERDADEIRAMENTE AMA CAVALOS. Que é o meu caso.

As feiras de animais, sejam elas quais forem, são um autêntico HORROR para os desventurados animais. E a da Golegã não é excepção.

Se o título é ofensivo para a Golegã e aficionados de feiras, onde os animais são expostos como se fossem batatas, o problema é da Golegã e dos aficionados.

MUDEM DE ATITUDE, e eu mudarei o título.

Caso não saiba, escrever em CAPS LOCK serve apenas para realçar o que se quer dizer. Não significa “gritar,” como muita gente PENSA.

Quanto ao “PASIQUIATRA”, sabe o que é um LAPSO? Pois acontece a muito boa gente que tem de escrever depressa e num quadradinho minúsculo.

E já agora, em relação a lapsos o senhor Vítor Pires não fica atrás, pois “CAIREM” escreve-se “caírem”; “ÀQUELA” escreve-se àquela; “alémd” escreve-se além, e “titulo” escreve-se título.

Isto será um lapso da sua parte, ou é aquilo que tentou chamar-me?

Isabel A. Ferreira, amiga dos Cavalos da Golegã.
De Miguel Pereira a 24 de Novembro de 2012 às 13:58
Dª Isabel

Como deixei de receber as notificações das suas respostas e do Sr.Carlos Ricardo não tinha visto as respostas dadas depois do meu ultimo comentário .
Portanto o meu ultimo comentário dado a este post fica sem efeito.

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Fevereiro 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29

Posts recentes

«Bicadas do Meu Aparo: “P...

Na passagem do 97º aniver...

Aleixei Navalny, um símb...

Os Defensores dos Direito...

Legislativas 2024 - Movim...

Os Polícias são traidores...

João Moura condenado: jus...

24 de Janeiro de 1944: ao...

«Bicadas do meu aparo: “S...

Por que é que não há dinh...

Arquivos

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

AO90

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, nem publica textos acordizados, devido a este ser ilegal e inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais. Caso os textos a publicar estejam escritos em Português híbrido, «O Lugar da Língua Portuguesa» acciona a correcção automática.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt