Segunda-feira, 11 de Junho de 2012

«VACA DAS CORDAS»... DESDE PONTE DE LIMA, NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA!

 

 

Repare-se na angústia estampada no semblante do animal, e na boçalidade desta “brincadeira” de gosto tão ignóbil...

 

 

Acabei de receber uma enxurrada de comentários, dos mais ordinários que se possam imaginar, oriundos de gente de Ponte de Lima.

 

E tão obscenos são que não posso aqui publicá-los, não só por ofender a moral pública, como por conspurcar o verde do meu Blog.

 

Quero apenas chamar a atenção dessa turba, para o facto de que tudo o que escreveram só vem confirmar a mediocridade e ignorância de quem defende um jogo tão parvo, onde o animal não humano é um autêntico joguete às mãos de uma caterva de gente rude e sem o mínimo respeito por um ser vivo, conforme as imagens ilustram.

 

 

 

 

 

EVOLUAM, GENTE DE PONTE DE LIMA! EVOLUAM!...

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:19

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De Carlos Ricardo a 11 de Junho de 2012 às 23:58
As gentes de Ponte de Lima e os outros todos de qualquer ponto do país que apoiam, colaboram e maltratam desta maneira um pobre ser vivo, são uns cobardes e paranóicos. Se as gentes de Ponte de Lima querem mostrar a sua "valentia" que enfrentem, em campo aberto, um touro liberto de tudo que lhe prende os movimentos. Mas para isso NÃO TEM TOMATES!!!! O padre que autoriza que prendam o touro na "sua" igreja devia ser excomungado e posto na rua da empresa (Vaticano) onde é funcionário.
ABAIXO AS GENTES DE PONTE DE LIMA E TODA A IGREJA CATÓLICA QUE PERMITE E APOIA ESTA PRÁTICA.
Estou farto destes "corajosos" de caca que fogem a sete pés, mal o touro faz um pequeno movimento !!!
Deixo aqui o meu e-mail para que essa gente se entretenha a ofender-me por e-mail e deixe o animal em paz!!! mmmpfarrajota@gmail.com
De Isabel A. Ferreira a 12 de Junho de 2012 às 09:17
Com poucas palavras pode dizer-se tudo.

Carlos, faço minhas as suas palavras. É exactamente isso.

Esta gente de Ponte de Lima não tem a mínima noção do que faz e do que diz. E as autoridades da terra ainda são piores do que quem pratica tal palermice covarde.

Por solidariedade, também aqui deixo o meu e-mail, para que se entretenham a ofender-me e deixem as vaquinhas de Ponte de Lima em PAZ.

isabelferreira@net.sapo.pt
De Guilherme Pereira a 10 de Abril de 2013 às 15:31
Estimados,

Como habitante do concelho de Ponte de Lima, gostaria também que não fosse generalizada a parte do: "evoluam(...)". Além de extremamente depreciativo é também muito injusto.
Sou adepto incondicional da Vaca das Cordas, mas concordo que a festa também se assenta no sofrimento de um animal, e a esta parte sou apologista que tentássemos pelo menos minorizá-lo -o que penso ser possível-, mas que também não tratássemos uma tradição secular com tanta banalidade e leveza. Devíamos primeiro começar pelas corridas de touros... Na vaca das cordas não se utilizam bandarilhas, e isso parece-me, á partida um detalhe fundamental!
E se acham que os limianos são homens das cavernas, saibam que, por exemplo, em Vitorino de Piães, Ponte de Lima, é organizado um evento tauromáquico onde o touro circula livremente numa área restrita e que apenas os mais corajosos o desafiam por sua conta e risco. A organização tem uma especial atenção para prevenir possíveis maus tratos de indivíduos menos ordeiros para com o animal, que felizmente até à data foram poucos ou nenhuns. Nesse evento, denominado de Bovis Congressus, o tributo é prestado ao touro! Não nego que o animal esteja sobre uma situação stressante, mas que não passa disso mesmo. No final das festividades, volta são e salvo para o seu pasto.
A titulo de curiosidade, são sempre os mesmos touros a fazerem o Bovis Congressus! Na minha opinião, se queremos dar uma finalidade a esta raça, sem ter que fazer uso da barbaridade das corridas de touros, esta parece-me uma excelente alternativa. Não basta estarmos em desacordo com uma tradição, temos que sugerir outras soluções e evoluir. Única e exclusivamente censurar não é uma opção!

Espero não ter ferido a susceptibilidade de ninguém!

Cumprimentos, Guilherme Pereira

De Isabel A. Ferreira a 11 de Abril de 2013 às 12:53
Como já disse, a ESTUPIDEZ nunca foi tradiçlão em parte alguma.

Apenas em PONTE DE LIMA.

DEIXEM AS VACAS EM PAZ.

Amarrem os limianos uns aos outros, e andem pelas ruas a fazer de parvos.

A Vaca das Cordas tem os dias contados.

EVOLUAM!

De LeanJ a 10 de Abril de 2013 às 20:56
Sou de Ponte de Lima e nao apoio esta tradiçao. Sinto-me ofendido pela sua generalizaçao totalmente parva ao dizer abaixo a gente de Ponte de Lima.

2o- todos os anos, nesta festa, a vila enche, mas nao é de gente local, vem de todo o país

3o - e as touradas tao tradicionais no campo pequeno e tal, tambem nao passam de lixo. Mas é na terra dis lisvoetsas civilizados, quer ver?

Com esse discurso voce nao fica muito acima do mais cobarde dos que fogem do touro, fica bem abaixo de burro
De Isabel A. Ferreira a 11 de Abril de 2013 às 12:57
A Vaca das Cordas é uma estupidez.

Se há limianos que não concordam com ela, nunca fizeram nada para que fosse eliminada.

Se ela persiste, é porque o povo limiano QUER.

Quanto ao Burro... Mil vezes burro do que limiano.
De LeanJ a 11 de Abril de 2013 às 15:54
Em dezasset anos de vida é um pouco complicado erradicar um evento. e com uma resposta dessas já perde toda a sua credibilidade, meu deus, depois dos limianos quer extreminar quem, judeus? E depois os ciganos, que tal? Uma boa continuaçao para essa corrente de odio que esta a mostrar
. Diga-me o que tem feito para combater a fome no mundo, pois, ainda ninguem a erradicou e ela esta aí. A senhora ja tem idade para ter juízo, eu nem por isso, mas incrivelmente parece que tenho-o em maior quantidade
De Isabel A. Ferreira a 11 de Abril de 2013 às 18:34
A resposta ao comentário do LeanJ está no seguinte link:

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/261669.html
De LeanJ a 10 de Abril de 2013 às 21:00
Sou de Ponte de Lima e nao apoio esta tradiçao. Sinto-me ofendido pela sua generalizaçao totalmente parva ao dizer abaixo a gente de Ponte de Lima.

2o- todos os anos, nesta festa, a vila enche, mas nao é de gente local, vem de todo o país

3o - e as touradas tao tradicionais no campo pequeno e tal, tambem nao passam de lixo. Mas é na terra dis lisvoetsas civilizados, quer ver?

Com esse discurso voce nao fica muito acima do mais cobarde dos que fogem do touro, fica bem abaixo
De José Dores a 12 de Junho de 2012 às 09:05
Isabel, quando nós eramos os malucos defensores dos animais há uma década e meia atrás, quando eramos ridicularizados diariamente, quando eramos discriminados devido ao nosso ponto de vista, ninguém achou isso estranho, niguém considerou isso um exagero. Agora que a situação se inverteu, e o mundo evoluiu, agora que os factos cientificos se amontuam em nosso favor e se torna uma estupidez defender o contrário parece haver um movimento de ofendidos, um movimento de pessoas que reinvidicam a sua diferença, o direito a ter uma opinião contrária. Todos temos direito a ter opiniões contrárias, mas ainda assim esse direito não pode ser exercido se dele resultar o sofrimento de um animal que sabemos ser senciente, é desumano e não está aberto a interpretações de nenhuma espécie.
De Isabel A. Ferreira a 12 de Junho de 2012 às 09:39
Exactamente, José Dores.

Todas as pessoas têm direito às suas opiniões, mas essas opiniões cessam a função de opiniões quando se trata de maltratar, de torturar, de fazer sofrer seres vivos como nós, e é como diz, essa desumanidade não está aberta a interpretações de nenhuma espécie.

Este povo, ainda tão primitivo, não estava habituado a que o contestassem nua e cruamente. Mas é preciso ABANÁ-LO com a realidade tal qual ela é, para ver se ACORDAM para o século XXI depois de Cristo.

Mas a culpa, continuo a dizer, é das AUTORIDADES que ainda são mais incultas do que o povo, que não teve oportunidade de se instruir. Se bem que há por ali gente que se diz estudada. Mas o facto de se conseguir obter um diploma não é sinónimo de INTELIGÊNCIA.
De José Dores a 12 de Junho de 2012 às 11:08
Por isso coloquei no Facebook a minha filha a beijar um pombo com o título... "E assim se acaba com as touradas em Portugal"... educando as crianças para terem compaixão e respeito pelos animais... e por isso é que nesta luta pelo fim das touradas a minha principal bandeira é impedir a presença ou participação das crianças nestes espectáculos taurinos, até terem uma idade adequada, segundo a lei em vigor, que infelizmente não é cumprinda, algo tão simples mas que acabaria com a tauromaquia numa geração ou duas.

Já agora se alguém me quiser insultar também pode, aliás pode ver quem eu sou através dos meus comentários e enviar mails se quiser... eu responderei para me entreter também.
De Isabel A. Ferreira a 12 de Junho de 2012 às 14:00
Mas isto é o José que é uma pessoa lúcida, com bom senso, sensível, inteligente e sabe o que é melhor pra a educação dos filhos.

Infelizmente, no nosso País, não temos autoridades que façam cumprir as leis, nem leis adequadas aos tempos modernos.

Temos de ser nós a GRITAR estas barbaridades para ver se os que as praticam e os que as deixam praticar nos ouçam e aprendam alguma coisa.

Insultar-nos é mais útil do que torturar seres vivos. Obrigada, José, por se juntar a nós.
De LISETE a 20 de Agosto de 2012 às 03:46
Dª. Isabel....
Depois de ler estes comentários acerca da tradição "vaca das Cordas" e como orgulhosa Limiana que sou, tenho que lhe dizer que o meu pensamento e a minha maneira de ver este assunto é igual ao seu, nunca foi da minha preferência este estilo de tradições nem nada que ponha em causa qualquer tipo de mutilação aos animais, que não têm qualquer culpa das ideias do ser humano, nem têm qualquer tipo de defesa quando acorrentados a postes ou afins para servirem de diversão, no entanto por mais que compreenda a sua revolta que passa muitas vezes ao lado da minha acho que a dª. Isabel não pode de todo englobar todos os Limianos no mesmo saco até porque existem entre nós muitos Limianos da sua opinião e que lutam como você pela mesma causa,sei que quando um assunto nos revolta e somos bombardeados de forma menos "delicada", perdemos um bocado o sentido de como falamos, mas acredite que nem todos os "filhos" de Ponte de Lima são iguais e por mais que nos custe em todos os debates e ou temas e assuntos existem sempre 3 pontos de vista o "seu" o meu e o correcto, mesmo que aos nossos olhos seja difícil temos que aceitar.
Acho deveras pertinente e urgente as mentalidades mudarem e ensinarem aos mais novos o que é correcto, saudável o que é respeitar o "meio-físico" que nos rodeia bem como o ser humano, mas temos que forçosamente esperar que o ser Humano mude de opiniões e altere os seus costumes mas para isso temos que ser pacientes, mesmo que isso até lá traga sofrimento a uns não sei quantos pobres animais, tal como isso o mundo tem evoluído em muitas matérias e nunca foi de um dia para o outro, Infelizmente enquanto isso leva tempo gera danos, mas não podemos achar que o nosso "grito" ou as nossas palavras de revolta vão mudar as mentalidades em pouco tempo. Mesmo com muita coisa ainda a mudar, acho que o ser humano actualmente está mais sensibilizado em muitas questões, esperemos então que elas mudem, dando espaço a cada individuo na mudança de opinião e atitude.... No entanto dª. Isabel os Limianos não podem ser classificados no seu todo como os classificou somente com base na atitude da tradição da "Vaca das Cordas ", estes têm muitas qualidades que não podem ser esquecidas, bem como a vila em si e quem a gere, tenho a certeza que onde a sra reside também haverá práticas que a sra não gosta ou não é totalmente de acordo mas não é por isso que a cidade ou vila onde reside perde o valor, temos que ser mais contidos na maneira como nos expressamos, isto com todo o respeito à sua opinião...
De Isabel A. Ferreira a 20 de Agosto de 2012 às 09:07
Lisete, estou completamente de acordo consigo, excepto num ponto: se a Lisete não se sente englobada no que eu chamo limianos incultos, não tem de se ofender.

Veja, quando se fala que os Portugueses são um povo atrasado e estão na cauda da Europa, EU, que não me considero INCULTA não ENFIO A CARAPUÇA, e passo ao lado dessa generalização.

Quando se diz que os nossos governantes são uns CORRUPTOS, naturalmente que alguns não serão. E só se incomodarão aqueles que o são, pois ninguém gosta de OUVIR AS VERDADES.

Quando se de diz que os homens são a raça mais predadora do planeta, EU não me sinto englobada, nesses "humanos", até porque sou mulher. E quando se diz "homens" isto quer dizer HOMENS E MULHERES.

Não podemos criticar algo individualmente.
Quando se diz que Ponte de Lima é uma terra que não evoluiu, não podemos estar para aqui a dizer qual "parte" de Ponte de Lima não evoluiu.
É impossível, não acha?

Se a Lisete é CONTRA a "Vaca das Cordas" ou contra a Tourada que se realizou para INSULTAR em forma de homenagem os emigrantes (e veja que não podemos dizer este ou aquele emigrante, temos de generalizar, e haverá muitos que ODEIAM TOURADAS e rejeitaram este insulto) o que tem a fazer é NÃO ENFIAR A CARAPUÇA E LUTAR PARA QUE AS COISAS MUDEM EM PONTE DE LIMA.

Não tenho nada contra PONTE DE LIMA (a terra não tem culpa do povo que a faz) E aqui está outro termo que não podemos dividir: POVO. Posso dizer algum povo, mas quando numa terra existem rituais grosseiros que NÃO DIGNIFICAM os habitantes locais, é todo o POVO QUE SOFRE AS CONSEQUÊNCIAS.

Para mudar as coisas, MUDEM OS GOVERNANTES QUE CONSENTEM ESTAS BARBARIDADES. É O POVO QUE VOTA.

Aqui está outra generalização: diz-se que os PORTUGUESES ESCOLHERAM OS GOVERNANTES QUE ESTÃO NO PODER A AFUNDAR PORTUGAL.

EU não votei em nenhum deles. EU não contribuí para este governo, no entanto sou PORTUGUESA e votei em branco.

Entendeu o que se passa Lisete?
É ÓBVIO, que há limianos CULTOS.
E estes TÊM OBRIGAÇÃO de LUTAR para que PONTE DE LIMA seja uma cidade CULTA TAMBÉM.

Até à abolição desses rituais estúpidos, Ponte de Lima terá a fama que tem: a de uma terra atrasada, que não evoluiu, e os LIMIANOS não se livrarão deste estigma: os cultos e os incultos.

Assim como Portugal é um país atrasado, apesar dos seus grandes literatas, dos seus grandes cientistas, dos seus grantes investigadores, dos seus grandes actores, cineastas, pensadores, poetas, filósofos, etc., etc., etc.,...

Percebeu, Lisete?
De LISETE a 20 de Agosto de 2012 às 17:45
Boa tarde...
Sim percebi o seu ponto de vista,e não enfiei de todo a carapuça, até porque sei e conheço bem os meus conceitos como cidadã, embora seja Limiana, não habito actualmente lá, mas contudo saberei e cabe-me a mim o que pretendo ou não fazer por Ponte de Lima, lutar ou não por causas, segui-las ou não mesmo que de longe, há contudo enumeras coisas que têm e/ou devem mudar, falou nos governantes e sabemos que maior parte dos Portugueses não votaram como a eu e a dª. Isabel neles, mas também se pode trabalhar nesse sentido, reclamar, lutar, gritar, protestar como outras coisas a dª. Isabel tem por habito sair para a rua e protestar as condições que o governo lhe impera???? Só acho que a dª Isabel com todo o respeito não precisa ser tão rígida, tão abrupta e/ou rude a falar é que as pessoas se entendem e um debate ou numa discussão isso é fundamental. Um bem haja à sua participação activa na sua e/ou nossa causa dos direitos e defesa dos animais, continue sempre um dia chegaremos a bom porto, com certeza haverá mais causas em que nos iremos debruçar aqui ou em qualquer parte do país, com voz activa de forma a tornar-mos o país melhor. ..
De Isabel A. Ferreira a 20 de Agosto de 2012 às 17:58
O que posso dizer-lhe, Lisete?
Concordo consigo.

A mimha luta é pela CAUSA ANIMAL, que engloba os animais humanos e os animais não humanos. E tudo o que diga respeito a uns e a outros eu utilizo as palavras como ARMA.

Por isso não sou meiguinha. Utilizo as palavras de acordo com as circunstãncias.

Se estiver a fazer escrever poesia sobre o mar, direi:

ranquilamente
lanças
as tuas águas
contra o penedio,
e com
beijos
molhados
sussurras
segredos
de amor
à madrugada...

Mas se estiver a LUTAR POR UMA CAUSA, uso as palavras adequadas a uma luta: uso-as como armas certeiras, nuas e cruas. Só assim consigo atingir os meus alvos.

É assim que tenho ganho muitas batalhas, nas guerras em que já me meti.

Mas vejo que a Lisete é uma Limiana culta, e lutará para que Ponte de Lima seja uma vila culta também.

Sem crueldade, sem violência, sem sangue, sem rudeza, sem boçalidade.

Por muito que estranhe, EU GOSTO de Ponte de Lima. Não gosto é das pessoas incultas que teimam em manter rituais primitivos, que não a deixam EVOLUIR.

Bem haja, Lisete!
De Alma a 31 de Agosto de 2012 às 23:47
Boa noite

Há variadíssimas formas de "ganhar uma guerra". Podemos alvejar insistentemente o "inimigo", na esperança de poder cantar vitória ou, podemos sempre convencê-lo que perdeu a "guerra" e que está errado.

Tenho um amigo que defendia o direito dos aficionados à tourada, porque quem não gostasse podia sempre não ir e deixava esse "prazer" para quem gosta. Confessou que nunca viu nenhuma, nem tenciona ver, mas defende o direito de quem gosta. Quando me disse isso, mostrei-lhe algumas imagens de tourada que abundam na internet e logo se alterou a sua expressão facial.
Muitas pessoas são indiferentes porque nunca viram, porque se vissem deixavam de ser indiferentes. Outros há que apenas precisam que lhes mostrem a verdade, sem batalhas, mas com razão.
De Isabel A. Ferreira a 1 de Setembro de 2012 às 11:30
Há muitas maneiras de ganhar uma guerra, sim, Alma.

As palavras podem ser usadas como armas.
As imagens como torpedos.

E por vezes, nem assim, eles lá chegam, porque a cegueira mental é tanta que são capazes de dizer que a Vaca que está a ser torturada, é "de brincar" como as vaquinhas de pau.

É o caso das gentes incultas de Ponte de Lima (atenção aqui não estão englobados os CULTOS, OBVIAMENTE).

É preciso dizer isto, porque às tantas chovem-me comentários de quem não PERCEBEU a mensagem.
De Ricardo Rodrigues a 10 de Abril de 2013 às 01:03
Ora bem: um animal efectivamento não é um humano e a "brincadeira" não é mais de que por um animal a correr com uma multidão a correr conjunta. Em nada há de cruel, muitas vezes acaba por ter mais liberdade do que estar rodeada por uma cerda de 10 metros quadrados.
O animal não sente nada mais do que adrenalina e o abate é feito de forma legalmente regulamentada, tanto que a carne é passivel de ser consumida (o que já não acontece nas touradas propriamente ditas).
Não será mais estupido joguetes de "humanos" de andar à pancada uns com os outros em ditos desportes de luta? Não será cruel o ser humano necessitar de perigo e até dor para sentir adrenalina e consequentemente vivo? não falo na generalidade dos casos, mas existem milhões que são "humanos" e "racionais" consciente do mal que fazem a outros humanos propriamente ditos, mesmo sendo socialmente aceitável como levar uma tareia num ringue rodeado por milhares de pessoas.
Ora voltando à vaca, legalmente não dedo a apontar, como numa tourada onde incutem sofrimento ao animal, provocam dor e destrate de tal forma que o animal fica sujeito a infecções e a carne nem consumida pode ser. Na vaca das cordas isso não acontece, não há crueldade, humilhação ou sofrimento; deixa-se a vaca correr antes do abate.
É o ciclo da vida animais alimentarem-se de outros animais, só assim se mantém o equilibrio do ciclo da vida, simplesmente a vaca corre pelas ruas rodeada de pessoas, com uma corda que não serve mais do que uma forma de controlo da multidão (cruel é ver uma gazela a ser caçada por uma leão), mas isso ninguem critica porque não é criticável.
Cruel é ter que ler a ignorância que quem fala sem conhecimento de causa.

Para a próxima informem-se antes de falar do que não conhecem, pois não se percebe, não se compreende nem se respeita quando não se tem todas as cartas na mesa.
De Isabel A. Ferreira a 10 de Abril de 2013 às 11:37
Olhe, Ricardo Rodrigues PERDEU O SEU TEMPO com esta retórica. Escusava de vgir para aqui fazer papel de parvo.

TUDO O QUE NÃO É CONSENTIDO É VIOLÊNCIA, seja física, seja psicológica.

Quanta ignorância! Tanta coisa já se escreveu a este respeito e VOCÊS NÃO APRENDEM.

ARRE que são mesmo DUROS DE CABEÇA!

As VACAS não nasceram para ser BRINQUEDOS nas mãos de bêbados. Esse ritual é tão CRUEL e ESTÚPIDO como todos os outros rituais, porque os animais NÃO DERAM O CONSENTIMENTO DELES para andarem nessas correrias IDIOTAS, amarrados a cordas , sem poderem defender-se, magoam-se, ferem-se, e depois acabam por ser mortos estupidamente.

A crueldade não é apenas FÍSICA. A CRUELDADE pode ser também PSICOLÓGICA. E a VACA DAS CORDAS é de uma VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA ATROZ.

Ponha-se o Ricardo Rodrigues no lugar da vaca, sem o seu consentimento, e deixe que um bando de bêbados ande a puxá-lo por uma corda, pelas ruas cheias de gente boçal, e depois venha-me dizer se se DIVERTIU. Se gostou da estupidez.

Aí sim. Falava com conhecimento de causa.

E parem de chamar ignorantes a quem SABE O QUE É UM ANIMAL. Coisa que vocês não sabem.

PORQUE IGNORANTES SÃO OS QUE, EM PONTE DE LIMA, SE APROVEITAM DA INOCÊNCIA DE UMA POBRE VACA, QUE NÃO CONSENTIU DIVERTIR SÁDICOS E BÊBADOS.

CHEGA DE ESTUPIDEZ! CHEGA DE IGNORÂNCIA!

SEJAM ANIMAIS RACIONAIS, UMA VEZ NA VIDA!

O Papa Francisco vai passar-se quando souber que em Ponte de Lima celebram o dia do Corpo de Deus com VIOLÊNCIA ANIMAL.
De Ricardo Rodrigues a 10 de Abril de 2013 às 13:07
Olhe Isabel, em primeiro lugar vai moderar o seu tom na forma como fala das pessoas de Ponte de Lima. Não anda ninguém bêbado a segurar nas cordas nem isto é terra de gente boçal! Porque se o acha diga frente a frente em vez de dizer através de um blog!
Em seguida, eu faço-lhe a seguinte questão: Um animal quando está preso numa jaula ou por uma treta não dá consentimento ao dono para tal, certo? E isso é a seu ver é violência? Segundo a sua resposta é. Muitos animais sendo eles racionais ou irracionais têm de ser controlados.
E se acha que perdi o meu tempo em vir aqui comentar algo que defendo você já vem perdendo à muito o seu tempo a defender algo que também defende porque a "Vaca das Cordas" não vai acabar. E você é tão cega que acha que o que os que defendem uma opinião contrária à sua são pessoas privadas de inteligência e perdem o seu tempo ao defender a sua opinião!
Desde já convido-a a vir assistir às festividades da "Vaca das Cordas".
De Isabel A. Ferreira a 11 de Abril de 2013 às 12:36
Quando a ESTUPIDEZ É GRANDE como se pode moderar as palavras?

O povo de POnte de Lima (não será todo) vive no tempo das trevas.

A Vaca das Cordas é a maior ESTUPIDEZ de Ponte de Lima. Não tenham dúvida.

Em, nenhuma terra CIVILIZADA se pratica tal boçalidade.

Uma festa de bêbados. Basta ver a quantidade de garrafas que ficam no chão no fim da parvoíce, e as atitudes grosseiras dos que tomnam parte neste jogo de ignorantes.

A Vaca das Cordas ACABARÁ. Podem ter a certeza disso. Tudo o que é PARVO acaba por acabar. Ou Ponte de Lima nunca sairá da pré-história?

E não venham justificar uma estupidez com outra estupidez.

Se não querem que vos chamem parvos, não o SEJAM.
De Rui Magalhães a 10 de Abril de 2013 às 15:15
O que o Ricardo disse é pura verdade, o animal não sofre, apenas corre e sente-se num estado exuberante de pura adrenalina. Ninguém mal trata, ninguém humilha o animal, ninguém o apedreja, ninguém lhe faz nada, simplesmente o metem a correr juntamente com as pessoas preso por cordas para que nada de mal aconteça a ambas as partes. Quando as pessoas querem falar, que falem do que sabem, porque virem acusar a gente de Ponte de Lima de certas e determinadas coisas é pura estupidez e peço que modere as suas palavras em relação ao povo aqui do Minho, porque você simplesmente não sabe do que fala ! Abaixo os comentários estúpidos, continue a tradição, continue Vaca das Cordas !
De Isabel A. Ferreira a 11 de Abril de 2013 às 12:48
A IGNORÂNCIA é muito triste.

O animal não sofre?

Ponham-se no lugar dele. E depois venham comentar.

ENQUANTO UM LIMIANO NÃO ANDAR PELAS RUAS A FAZER DE VACA, NÃO TERÃO LEGITIMIDADE PARA PALAR DO SOFRIMENTO DE UM SER SENCIENTE.

VÃO TRATAR-SE.

A PARVOÍCE É UMA DOENÇA.

A Vaca das Cordas tem os dias contados.

Vá você fazer de Vaca, Rui Magalhães, se é assim tão bom. E se o pobre animal não SOFRE, não tem nada a temer.

Até nisso mostram uma IGNORÂnCIA CRASSA.
ARRE!
De Filipa a 10 de Abril de 2013 às 21:56
Eu sou limiana e não acho justo estarem a falar mal das pessoas de Ponte de Lima por causa de uma prática de um dia.
Concordo com muitas das coisas que se foram ditas mas discordo com muitas outras.
Não acho bem o touro, sim porque apesar de se chamar Vaca das Cordas o animal é um touro, estar preso por duas cordas se bem que a maior parte do tempo que anda no areal anda solto porque os homens não têm força para o segurar e nesses momentos o touro não deve estar a sofrer.
Desde pequena que «assisto» à Vaca das Cordas ou em cima da ponte ou do outro lado do rio e sinceramente as pessoas que se armam em corajosas muitas vezes são levadas pelo touro e acabam por pagar pelos seus atos de valentia.
E quem participa nesta corrida não são só pessoas de Ponte de Lima muitos são aqueles que vêm de outras regiões por isso não nos deviam criticar só a nós.
E se você sabe assim tão bem o que se passa na Vaca das Cordas é porque já cá veio e se fosse contra não vinha nem sequer uma vez. Porque eu também sou contra as touradas e por isso nunca vejo nem assisto a uma.
Na minha opinião não se deviam defender só os animais mas também as pessoas que morrem todos os dias pelas ruas de Lisboa esfaqueadas ou de outro modo. Aqui em Ponte de Lima isso não acontece porque somos um povo civilizado onde os assaltos violentos não entram!
Já para não falar de muitas outras coisas em que Ponte de Lima supera outros sitios do país.
Ainda hoje vi que o ensino no Norte é melhor do que no Centro e Sul, a gente da parte sul do país adora criticar o norte por ser atrasado mas parece que nós os nortenhos somos os melhores em educação e não temos as mesmas regalias que os do Centro e Sul têm.
É claro que eu preferia viver noutro sitio mas fora de Portugal porque se for para viver cá orgulho-me de ser nortenha!!

Cumprimentos.
De Isabel A. Ferreira a 11 de Abril de 2013 às 13:01
Se é limiana e não acha bem que falem mal de Ponte de LIma, ACABEM COM A ESTUPIDEZ da Vaca das Cordas.

Só quando Ponte de Lima EVOLUIR poder-se-á falar bem de Ponte de Lima

Deixem as VACAS EM PAZ.
De Emanuel Felgueiras a 10 de Abril de 2013 às 22:27
Essa "gente rude" de que a Sra. fala, tem-lhe a dizer que atrasada é a Sra, uma vez que julga Ponte de Lima sem a conhecer, porque se conhecê-se todas as suas tradições e mais-valias, mudaria de opinião! Até lá, mantenha-se na sua "ignorância"...Porque quem precisa de evoluir é Você!!!
De Limi a 10 de Abril de 2013 às 12:29
Sendo um orgulhoso Limiano e deparando-me com estes tão rígidos e, atrevo-me, ignorantes comentários sobre o Povo Limiano e contra uma tradição que já tem décadas, não pude deixar de me pronunciar. São textos bonitos os que cá se mostram, mas quantos destes bloggers já presenciaram /participaram neste evento? Poucos ou nenhuns, estou certo. Esses comentários representam 'o típico português' que vem para a praça pública opinar de um assunto sobre o qual não tem conhecimento. Pelo país fora, há tradições de naturezas completamente diferentes, nascidas em tempos antigos, mas nem todas essas festas agradam a todos os habitantes do país. Portugal está como todos sabemos, mas não tenho memória de nenhuma lei sobre a liberdade de escolha. O meu ponto é, só participa nestas tradições quem quer e quem gosta. Quem não partilha dessa opinião, limita-se a ficar de fora. Quem é quem para dizer que isto ou aquilo está errado? Que moral têm aqueles que lhes é dada a oportunidade de mudar o rumo do país e escolher os seus dirigentes, votam em branco e ainda se queixam do governo escolhido? Ainda com a distinta lata de afirmar 'não tenho culpa do que o governo fez ao país, não fui eu que o escolhi'. Por favor. Limitem-se a falar daquilo que sabem e deixem Ponte de Lima, os Limianos e a Vaca das Cordas em Paz. Se não gostam, não apreçam. Passamos muito bem sem a vossa presença. Se Deus não agradou a todos, porque haveríamos nós (Limianos) de agradar?
De Isabel A. Ferreira a 11 de Abril de 2013 às 12:26
Será possível que esta gente não entende? Serão assim tão broncos das ideias?

Será que não entendem que as tradições pré-históricas já foram deixadas HÁ MUITO, porque o mundo evoluiu?

A “Vaca das Cordas” quer gostem quer não gostem é um ritual parolo, primitivo, boçal, grosseiro, estúpido, que já devia ter sido deixado há muito.

Basta ver os vídeos, para termos uma ideia do quão ESTÚPIDO é este jogo de bêbados, que só DESPRESTIGIA Ponde de Lima, que já está no Livro Negro da Tauromaquia como uma terra que em 2013, teima em continuar com rituais primitivos e parvos.

Além disso são tão broncos que AINDA NÃO SE APERCEBERAM de que as VACAS não são brinquedos.

Amarrem o povo a umas cordas, deitem-lhe vinho para cima, e andem pelas ruas a puxarem- se uns aos outros. Divertiam-se de um modo ESTÚPIDO, mas deixem um ser inocente em paz.

Aqui o que está em causa é a VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA ATROZ exercida sobre um ser inofensivo, inocente e que NÃO está nesse jogo parvo de livre e espontânea vontade.

Se querem divertir-se à parva, divirtam-se uns com os outros amarrando-se uns aos outros.

MAS DEIXEM AS VACAS EM PAZ.

CHEGA DE ESTUPIDEZ!

O mundo evoluiu, sabiam? A parvoíce nunca foi
tradição.

ARRE! QUE GENTE EMPANCADA DAS IDEIAS!
De Filipe André Pereira Carneiro a 10 de Abril de 2013 às 14:36
Abaixo à ignorância, de quem escreve aquilo que não sabe, aquilo que não vive e aquilo que não tem. Só quem for de Ponte de Lima perceberá a verdadeira tradição e quão rica é aquela região...essa gente que se diz evoluída, que vive nas grandes cidades, onde o que existe é toneladas de betão, e miolos atrofiados de quem vive no meio da fumaça que só pensa no disparate e no quão ridícula é ao fazer este tipo de referências.
Em primeiro lugar estão a falar de uma tradição centenária, em segundo o animal não é mal tratado, apenas dá voltas à Matriz e à Vila amarrado por cordas, para que não desfaça o que bem entender. Não lhe batem, não o pontapeiam, não lhe espetam ferros, apenas correm em frente desse animal que é um símbolo da vila mais antiga de Portugal. Antes de falarem, e mandarem postas para o ar, cresçam como gente, aprendam um bocado da cultura de cada região e respeitem-na...porque a carne que vocês comem todos os dias à mesa, é tratada da mesma ou pior forma do que aquela que estão a ver nas fotos, e que vai acabar como qualquer outro animal...na mesa de muitos portugueses. Viva à tradição e todos aqueles que não as deixam morrer!
De Isabel A. Ferreira a 11 de Abril de 2013 às 12:41
A ESTUPIDEZ nunca foi TRADIÇÃO, em parte alguma do Universo.

SÓ é tradição em PONTE DE LIMA.

EVOLUAM.

A Vaca das Cordas é um ritual ESTÚPIDO.

Deixem as VACAS EM PAZ.

SDediquem-se a divertimentos mais EVOLUÍDOS.

A parvoíce também nunca foi tradição.
De Emanuel Felgueiras a 10 de Abril de 2013 às 22:09
O que não evolui é a sua cabeça, não venha chamar incultos e ignorantes aos Limianos, quando conhecer PONTE DE LIMA e todas as suas qualidades e tradições, mudará de opinião...Até lá, fica melhor calada...
De Isabel A. Ferreira a 11 de Abril de 2013 às 13:06
Enquanto Ponte de Lima persistir em manter a ESTUPIDEZ da Vaca das Cordas, será uma terrinha atrasada.

Fique sabendo que conheço Ponte de LIma. É uma terra LINDA, amas com uma NÓDOA NEGRA que faz dela uma terra suja.

Que quer que lhe diga?

ACABEM COM ESSA ESTUPIDEZ da Vaca das Cordas e PONTE DE LIMA SERÁ UMA PRINCESA.

Até lá será uma terra a NÃO VISITAR.
De Isabel A. Ferreira a 11 de Abril de 2013 às 13:11
Enquanto Ponte de LIma mantiver esse ritual ESTÚPIDO, será um aterra ATRASADA.

Não tenham QUALQUER DÚVIDA.

E a inculta sou eu.
Pois, sou eu que ando a puxar uma vaca inocente e indefesa a amarrada a cordas pelas ruas.

Além de estúpido é COVARDIA.
De Isabel A. Ferreira a 11 de Abril de 2013 às 13:14
Ah! sim, sou eu eu que ando a puxar uma pobre vaca indefesa, amarrada a cordas pelas ruas...

Quanta covardia!

Evoluia.
Vá estudar!
De Carlos Ricardo a 16 de Abril de 2013 às 04:30
Depois de ler todos os comentários e respostas, verifico que, efectivamente, a IGNORÂNCIA sobre o que é um animal não humano é atroz !!
Dirijo-me SÓ e APENAS aos limianos que apoiam a Vacas Cordas. Aos outros, que perante tal espectáculo, se calam (os ditos cinzentos), apenas peço que tomem uma posição.
Srs limianos, porque carga de àgua se divertem com um animal que não vos faz mal nenhum? Ainda por cima têm a lata de comparar a vaca das cordas com o boxe (onde ambos os contendores estão por vontade própria), de dizer que quem não gosta, não vá ver (se vir um limiano ser violentado por outro, juro que viro a cara - é essa a vossa idéia, não é?) e outras frases típicas de quem sentiu que lhe tocaram naquilo que não concordam mas não têm coragem de combater.
Compreendo que defendam a sua origem limiana mas, por favor, não façam utilizando a vaca das cordas como cavalo de batalha, como se fosse a identidade dos limianos. Parece, através de alguns comentários, que se a vaca das cordas acabasse (como irá acontecer) deixassem de ter orgulho em ser limiano!!
Não me vou adiantar mais porque, quando acusam os abolicionistas da vaca das cordas, de não saberem do que estão a falar, por mim, não vale a pena continuar.
Por favor, não me falem da fome no mundo, porque isso e outras atrocidades SÃO OBRAS DOS HUMANOS !! NUNCA VI UM ANIMAL NÃO HUMANO, INVENTAR BOMBAS, VIOLAR SEXUALMENTE UM BÉBÉ DA SUA OU OUTRA RAÇA, EXPLORAR LABORALMENTE OS OUTROS, enfim, tantas diferenças existem e alguns HUMANOS, em vez de aprenderem com estes seres vivos, apenas os utilizam para seu divertimento !!!
POR FAVOR, DEIXEM OS ANIMAIS EM PAZ !!!!
De Isabel A. Ferreira a 16 de Abril de 2013 às 18:21
A resposta ao comentário do Carlos Ricardo está no seguinte link:

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/262519.html
De Mariana a 11 de Abril de 2013 às 23:26
Só para que não haja enganos, tenho a comunicar-lhe que Ponte de Lima é uma VILA e não uma cidade, como refere num comentário mais acima. Só por isto já se vê que não conhece Ponte de Lima e muito menos a gente limiana por isso não os julgue!
Nunca matou uma aranha ou uma formiga?! Duvido que nunca o tenha feito! Isso também é contra a vontade do animal! Ainda que mais pequeno que uma vaca, é um animal, por isso, tendo feito isto também você é COVARDE, ESTÚPIDA E ATRASADA (com todo o respeito obviamente)!
De momento é tudo, não sei se está do seu agrado a maneira como está escrito este comentário, mas sou limiana, logo sou atrasada, por isso não sei se consigo chegar aos seus calcanhares!
De Isabel A. Ferreira a 12 de Abril de 2013 às 11:19
Obviamente, com todo o respeito, á falta de argumentos que justifique a estupidez da “Vaca das Cordas” de Ponte de Lima, para o caso não interessa se esta é vila ou cidade.

Não é disso que estamos a falar. Ponte de Lima não passará nunca de um lugarejo inculto, enquanto mantiver um ritual das trevas. É uma terra linda, mas com uma fatia de população ainda muito primitiva e bronca.

Ao contrário do que pensa, já fui de frequentar bastante, Ponte de Lima, aos fins-de-semana (eu e as pessoas das minhas relações a quem recomendava a terra, até os meus amigos estrangeiros). Mas isso foi ANTES de saber desta nódoa negra que empesta o lugar com cheiro a mofo.

O que estamos a tratar é da estupidez a que vocês chamam de “tradição”.

E não me venha para cá falar de moscas ou aranhas ou formigas. Nem sequer sonha o que lhes faço, mas ficará sem saber, porque não estamos a falar disso.

Estamos a falar de VACAS amarradas a uma corda e violentada por uns grosseirões bêbados, COVARDES, ESTÚPIDOS E ATRASADOS.

Não foi isso que me chamou?

Mas olhe que não sou eu que ando a correr atrás de uma pobre vaca amarrada, pelas ruas de Ponte de Lima.

Pense um pouco (se é que consegue) e veja a diferença.

Vê-se que é limiana, obviamente. E atrasada. Claro. Se não fosse, tendo a oportunidade de deixar de ser IGNORANTE, aproveitaria a oportunidade.

Mas existe um tipo de gente que se RECUSA a evoluir, e essa gente é a pior ignorante.

Também é óbvio que não chega aos meus calcanhares. Não. Porque não sou adepta da estupidez. Pelo contrário. É algo que abomino. Gosto de aprender, de evoluir, de viver conforme as regras do universo. O que não é o seu caso, conforme ficou bem patente neste seu comentário.

Para mim, as vacas, as moscas, as aranhas, as formigas são muito mais dignas da minha consideração e respeito, do que os parolos adeptos da “Vaca das Cordas”.
De dc_limas a 12 de Abril de 2013 às 23:33
como é triste uma pessoa qualquer, que fala tanto de inteligência e não passa de uma total inergume (para nao te chamar burra) que não faz ideia do que e ponte de lima, e o povo limiano, vir para um blog estupido tentar ''acabar'' com algo que e impossível acabar!
com todos os comentários que i teus, cheguei a conclusão que es vegetariana, e já agora, porque é que todos os ativistas de meia-tigela como tu não reclamam da pesca? isso sim e sofrimento, e é um considerado quase um desporto.. morre pendurado pela boca, isso e sofrimento!
olha deixo aqui isto, http://pt.wikipedia.org/wiki/Vaca_das_Cordas

vai te ajudar a ter mais um pouco de consciência, nas (desculpa o termo, não é que mereças) merdas que estas a dizer...tem cuidado com o que dizes do povo limiano, pois se não respeitas a ''tradição'' respeita o povo da vila mais antiga de Portugal!!
De Isabel A. Ferreira a 13 de Abril de 2013 às 12:54
A resposta ao comentário do limiano está no seguinte link:

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/262277.html
De Ricardo Rodrigues a 15 de Abril de 2013 às 17:59
Povo Limiano, não vale a pena comentar mais pois só pelo simples facto de defender-mos uma opinião diferente já somos atrasados, ignorantes e não saímos das trevas! O que eu vejo aqui por parte desta senhora é:
Argumentação: 0%
Ignorância: 100%
Falta de educação: 2000%

Você não sabe do que fala nem nunca cá veio senão não dizia isso, pois Ponte de Lima é sim uma VILA, não CIDADE, desenvolvida!

Independentemente da posição que defende eu dou-lhe dois conselhos: Visite Ponte de Lima e cale-se.
E meta uma coisa na sua cabeça. Há muitas coisas que são estúpidas e nunca vão acabar.
Por isso aquilo que disse é de uma ignorância extrema. A Vaca das Cordas alem de não ser algo estúpido, senão a tradição e cultura era algo estúpido, também nunca vai acabar.
De Isabel A. Ferreira a 16 de Abril de 2013 às 16:59
Este é um daqueles comentários que não valem um tostão furado, mas como estou bem-disposta, vou responder-lhe, RICARDO RODRIGUES, pode ser que seja desta vez que aprenda alguma coisa (tenho sempre a esperança).

Os ADEPTOS da Vaca das Cordas (repare que estou a especificar) são DE FACTO ignorantes, atrasados e não saíram das trevas, mas NÃO por terem uma opinião diferente.

A “Vaca das Cordas “ não é uma OPINIÃO. Nem uma IDEIA.

A “Vaca das Cordas” é uma ATITUDE LAMENTÁVEL, CONTRA UM ANIMAL SENCIENTE. Um RITUAL OBTUSO, de GENTE PRIMITIVA. Não é uma opinião.

E claro esses valores que VÊ na minha argumentação é de um CEGO MENTAL.

E saber do que falo SEI MAIS DO QUE OS LIMIANOS ADEPTOS DESTA SELVAJARIA.

Para o caso, Ponte de Lima ser vila ou cidade não é importante.

Veja aqui o motivo, ó Ricardo Rodrigues:

http://www.google.pt/#hl=pt-PT&sclient=psy-ab&q=cidade+de+ponte+de+lima+portugal&oq=Cidade+de+Ponte+de+Lima&gs_l=hp.1.1.0j0i30j0i5i30l2.2155.6413.0.7972.23.20.0.3.3.2.1087.3533.6j11j1j1j7-1.20.0...0.0...1c.1.9.psy-ab.rvZpoduXcz4&pbx=1&bav=on.2,or.r_qf.&bvm=bv.45175338,d.d2k&fp=4c877bed2045f244&biw=1280&bih=914

E não é preciso dar-me conselhos.

Leia o que já escrevi sobre Ponte de Lima e veja a figura de parvo que faz ao dizer: «Visite Ponte de Lima e cale-se.». Cale-se? Pensa que está a falar com quem, seu ditador de meia tijela?

E para comprovar aquilo que estou sempre dizer sobre o ATRASO MENTAL dos limianos que são adeptos da estupidez da Vaca das Cordas, basta esta: «E meta uma coisa na sua cabeça. Há muitas coisas que são estúpidas e nunca vão acabar. Por isso aquilo que disse é de uma ignorância extrema».

É verdade, nunca, não acabarão enquanto houver estúpidos.

O que eu disse é de uma ignorância extrema? Pois é! Mas apenas para os estúpidos.

Mas esta estupidez ESTÁ A ACABAR.

Isto é que devem pôr na vossa cabeça: TODOS OS RITUAIS TAUROMÁQUICOS ESTÃO NO FIM.

Agora esta é de MESTRE: «A Vaca das Cordas alem de não ser algo estúpido, senão a tradição e cultura era algo estúpido, também nunca vai acabar».

Pois… mas acontece que a “Vaca das cordas” é um ritual ESTÚPIDO e nada tem a ver com CULTURA, por isso não se enquadra nem em tradição nem em cultura. Logo VAI ACABAR como acabam todas as coisas ESTÚPIDAS.

Percebeu, ou não percebeu?

Isto é malhar em ferro frio. É como pedir a uma parede para dissertar sobre a Música de Mozart.

Mas tenho esperança.
De eu proprio a 1 de Junho de 2013 às 12:55
Quanta ignorância de uma senhora que se diz tão culta ate dá dó
De Isabel A. Ferreira a 1 de Junho de 2013 às 16:33
IGNORANTES SÃO OS LIMIANOS BRONCOS QUE MANTÉM UM COSTUME QUE É A CHACOTA DO MUNDO CIVILIZADO.

METER DÓ, METEM OS LIMIANOS BRONCOS QUE NEM SEQUER TÊM NOÇÂO DA ESTUPIDEZ QUE É ESSE COSTUME PRIMITIVO E GROSSEIRO DA VACA DAS CORDAS.

EVOLUAM.
ESTUDEM.
SAIAM DA IGNORÂNCIA!

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

Boas notícias! A Nova Zel...

Em Vila Franca de Xira: «...

Como os mortos não falam,...

Testes de toxicidade em a...

Enquanto o Povo dorme... ...

Março/09/2021: um dia ne...

«O último adeus» - "Enqua...

Estão a aparecer cordeiro...

Este monstro marinho, cha...

«Morreu [o Touro] Marism...

Arquivos

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt