Quarta-feira, 27 de Julho de 2016

NA ILHA DAS FLORES (AÇORES) NÃO HÁ TRADIÇÃO DE TOURADAS NEM DE VACADAS

 

Mas este ano, pela primeira vez, o presidente da Câmara Municipal desta ilha, que é adepto de selvajaria tauromáquica, pretende impô-las, com o apoio da igreja que se diz católica, e logo na festa do Senhor Santo Cristo, remando contra a maré da evolução, como se o Santo Cristo aprovasse a tortura das criaturas de Deus.

 

Por isso é importante que assinem e divulguem esta petição:

https://www.change.org/p/senhor-bispo-d-jo%C3%A3o-lavrador-senhor-santo-cristo-das-lages-das-flores-sem-vacada

 

 

SANTO CRISTO.jpg

 

No próximo dia 30 de Julho está programada a realização de uma “vacada”, integrada no programa da festa do Senhor Santo Cristo, na freguesia da Fazenda, concelho das Lajes das Flores.

 

- Considerando que as touradas ou “vacadas” em nada contribuem para educar os cidadãos para o respeito aos animais, além de causarem sofrimento aos mesmos;

 

- Considerando que põem em risco, de forma absurda, a integridade física e até em algumas ocasiões a vida das pessoas;

 

- Considerando que não há tradição ou divertimento que justifiquem o sofrimento e maus tratos a um animal, não havendo nem sequer qualquer tipo de tradição para este tipo de “espectáculos” no Município das Lajes das Flores;

 

- Considerando que o Município das Lajes deveria corresponder aos critérios do galardão de reserva da biosfera, como um exemplo de respeito pela natureza, pelo ambiente e pelos animais, não ficando associada a sua imagem à prática deste tipo de eventos retrógrados;

 

- Considerando também que a Igreja Católica deveria ter uma posição clara relativamente às touradas, que foram condenadas e proibidas pelo Papa Pio V, que as considerava como espectáculos alheios de caridade cristã;

 

Vimos apelar a V. Ex.ª para que seja retirada a licença municipal à realização deste evento e que a “vacada” seja retirada do programa da festa do Senhor Santo Cristo.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:34

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 28 de Outubro de 2015

CARTA ABERTA ÀS SENHORAS AUTARCAS DA LAGOA (SANTA CRUZ-AÇORES)

 

VACADAXXX.jpg

Uma vez mais o ritual cruel celebra um Santo católico, junto ao convento dos frades… Que frades serão estes?

 

A duas senhoras insensíveis?

Quero crer que não.

 

Exma. Senhora Presidente da Câmara Municipal da Lagoa

Cristina Calisto Decq Mota,

 

Exma. Senhora Presidente da Junta de Freguesia de Santa Cruz

Adriana Falcão,

 

É verdade que no próximo dia 7 de Novembro irá realizar-se na Freguesia de Santa Cruz, uma vacada?

 

Não acredito.

 

Mas no caso de isto ser verdade, quero manifestar o meu total repúdio por tal acontecimento, que em nada dignifica o concelho da Lagoa, muito menos o São Martinho, um santo católico, que não merece tal aviltamento.

 

De acordo com o saber científico do Médico Veterinário, Dr. Vasco Reis, “Vacadas e garraiadas contribuem para insensibilizar, habituar e até viciar crianças e adultos no abuso cruel exercido sobre animais, o que pode propiciar mais violência futura sobre animais e pessoas”.

 

A utilização de animais juvenis submetidos à violência de multidões, não pode ser branqueada como «espectáculo que não tem sangue e é só para as crianças se divertirem».

 

Para crianças se divertirem com a crueldade?

 

Mesmo que não tenha sangue, essas práticas provocam grande sofrimento aos animais, e contribui para a perda de sensibilidade das pessoas, principalmente de crianças, e para o gosto pela crueldade e violência da tauromaquia.

 

Esta é uma prática fútil, sádica e cobarde.

 

Deste modo, sugiro a Vossas Excelências que não autorizem a realização desta vacada, e aproveito para alertar para os prejuízos que poderão advir para o Concelho da Lagoa, pelo facto do mesmo passar a figurar na lista de cidades e concelhos a serem evitados por todos os turistas e pessoas de bem que, para além de procurarem locais onde a natureza esteja imaculada, também dão preferência a populações que respeitem os animais.

 

Além disso, minhas senhoras, este tipo de “divertimento” demonstra o grande atraso civilizacional da Lagoa.

 

Em 2013, mobilizámo-nos para que esta prática fosse abolida na Lagoa, mas pelo que vemos, não houve evolução alguma.

 

Espero que, com duas senhoras no poder, a sensibilidade seja outra, e como mulheres e (possivelmente) mães, possam entender que esta não é a melhor forma de educar crianças, e gerir os destinos da Lagoa.

 

Atentamente,

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:24

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 7 de Maio de 2014

GARRAIADA DA ACADEMIA DO PORTO, PREVISTA PARA O PRÓXIMO DIA 11 NA CIDADE CARNICEIRA DA PÓVOA DE VARZIM, ENVERGONHA A CLASSE ESTUDANTIL

 

Sejam estudantes, não ignorantes!  

 

Leu-se num cartaz no ano passado.

 

Mas qual quê?

 

A inteligência destes pseudo-estudantes é igual à de uma porta: não dá para perceberem que torturar novilhos não é adequado a quem frequenta o ensino superior, e então optam pela ignorância.

 

 

(Imagem retirada da Internet)

Triste figura a dos cobardes.

 

Nada aprenderam desde o ano passado, em que foram bastamente enxovalhados por se portarem como broncos e não como estudantes.

E quem não aprende com os erros o que é?????

 

Pois!...

 

No entanto a culpa será dos autarcas poveiros que promovem e apoiam a "cultura" carniceira em várias frentes (touradas, garraiadas, vacadas, batida à raposa, circos com animais, tiro aos pombos, luta de cães, corrida de galgos… enfim…), e tinham o dever de dar o exemplo maior, uma vez que “conduzem” o destino da cidade.

 

Mas qual quê!

 

A nota principal que caracteriza a actuação dos autarcas da Póvoa de Varzim é a mediocridade.

 

Portanto, a estupidez de uns pseudo-estudantes junta-se à vulgaridade da política cultural da Póvoa de Varzim, e o que temos?

 

UMA VERGONHOSA E PRIMITIVA RECREAÇÃO DE BRONCOS, QUE SUJA O NOME DA UNIVERSIDADE DO PORTO E DA CIDADE QUE PERMITE TAL POBREZA MORAL E SOCIAL.

 

JÁ ERA TEMPO DE DEIXAREM DE SER BRONCOS.

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:23

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 2 de Maio de 2014

MAIS UMA ESTUPIDEZ UNIVERSITÁRIA

 

Alunos da Universidade de Évora vão transformar ovelhas vivas em arte durante a Ovibeja, certame que decorrerá entre os dias 30 de Abril e 4 de maio, no Parque de Feiras e Exposições de Beja. Esta é uma iniciativa conjunta entre o artista plástico Pedro Portugal e os alunos do curso de Artes Visuais e Multimédia.

 

(Entretanto parece que o desfile com as ovelhas pintadas foi cancelado. Alguém teve um rasgo de lucidez. Contudo, fizeram o desfile com as ovelhas com a sua cor natural, o que também é coisa de gente doida. Desfilar ovelhas? Porquê? Para quê?)

 

Quando é que aqueles que ingressam numa Universidade vão entender que uma Universidade não é uma caverna pré-histórica, mas um lugar de Cultura Culta e Saber?

 

Tenham vergonha, aqueles que utilizam animais para garraiadas, vacadas, pinturas grotescas, coisas de um mau gosto patego, de gente mais do que primitiva, e abandonem o Ensino Superior, porque não andam aí a fazer nada.

 

Evoluam, e depois apareçam…

 

Mas a culpa será do sistema de ensino, caduco e pobre, e de leis que permitem esta estupidez.

 

Contudo, um estudante universitário que se preze, nunca se baixará a este nível rasteiro, da incultura grosseira, ainda que os governantes (ainda mais incultos e grosseiros) o permitam.

***

 

O QUE FAZ NÃO TER PERSONALIDADE NEM ESPÍRITO UNIVERSITÁRIO SUPERIOR

 

 

Não sei quem é a Ana Maria Carvoeiras, mas no ano passado, a propósito da minha crítica à estupidez da garraiada “académica” na Universidade de Évora,  e da cumplicidade da Cruz Vermelha http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/114861.html

esta estudante (?) teve o desplante de dizer o seguinte:

 

 

«Em resposta ao comentário da Sra. D. Isabel Ferreira, que revela uma enorme falta de informação, cumpre esclarecer.

 

 

«A Garraiada Académica, espectáculo inserido na Queima das Fitas, é autorizado pelo IGAC (Inspecção Geral das Actividades Culturais).»

 

 

- Poderia até ser autorizado por todos os governantes do mundo, mas um estudante universitário que se preze, não é obrigado a seguir autorizações parvas.

 

 

«Assim sendo, uma vez autorizados por quem de Direito, devem ser legalmente fornecidos todos os meios necessários para que o evento ocorra em segurança, tal como apoio dos Bombeiros Voluntários e Ambulância para assistir eventuais feridos

 

 

- Sim, eventuais feridos, Bombeiros, e todos nós a pagar para esta estupidez voluntária.

 

 

«Aliás, o mesmo sucede com a meia dúzia de provocadores, nos quais a senhora seguramente se inclui, que se deslocam à porta das praças de toiros deste país para passar o tempo, que por pura cobardia solicitam "escolta policial", ocupando estes profissionais com assuntos menores, impedindo-os de combater a criminalidade deste país, ao passarem horas de trabalho a "aquecer as costas" a meia dúzia de provocadorzecos, que não têm a noção do que significa acabar com esta tradição da festa brava, com séculos de história no nosso País

 

 

- Este pedaço de prosa não é de uma universitária. É de alguém que não faz a mínima noção do que diz, nem do que é tradição, nem do que é cultura. Demonstra uma ignorância crassa para quem frequenta a Universidade. É uma vergonha para o prestígio da Universidade de Évora. Devia ser expulsa dessa instituição que se diz de Ensino Superior.

 

 

«Quer queiramos, quer não, é assim que funciona, se a manifestação é autorizada, se solicitado, é concedido apoio policial. Um comentário dessa natureza, esse sim, choca a sensibilidade de qualquer pessoa de bem, sugerindo que uma instituição como a Cruz Vermelha se abstenha de prestar cuidados aos intervenientes e assistentes de um espectáculo que é legal em Portugal.»

 

 

- Não é “assim que funciona” coisa nenhuma. Se há manifestações contra as garraiadas, é porque estas são uma aberração social, e os cidadãos lúcidos têm o direito de protestar, e dar voz aos pobres animais, que vão ser torturados por cobardolas, a cair de bêbados, e que sujam o nome da Universidade com esta imbecilidade. E a Cruz Vermelha, sendo uma instituição de solidariedade social, não deveria apoiar estas iniciativas onde seres vivos vão ser torturados.

 

A Cruz Vermelha perde toda a sua credibilidade e dignidade ao ser cúmplice desta estupidez.

 

 

«Por último, em face deste brilhante comentário, cumpre salientar que ao não patrocinar a Cruz Vermelha está, de facto, a assumir uma posição de neutralidade, abstendo-se de tomar uma posição, mas assegurando os cuidados de saúde aos cidadãos e abstendo-se de praticar o acto criminoso que esta senhora sugere, omitindo auxílio e cuidados de saúde a pessoas que, única e exclusivamente, têm uma opinião divergente da sua.»

 

 

- Este final seria para rir, se não fosse trágico. Se os ditos “cidadãos” querem expor-se ao perigo, ficar tetraplégicos ou mesmo morrer, o que temos nós que pagar por isso? Querem cuidados médicos, paguem do vosso bolso. Ninguém vos obriga a ir para uma arena, a cair de bêbados, expor-se às investidas de um novilho, que não faz mais do que proteger-se, com toda a legitimidade, da estupidez de cobardes irracionais. E quem pratica actos criminosos é quem vai torturar os novilhos, que ficam maltratados e não têm cuidados veterinários adequados.

 

 

E isto não é uma questão de ter opiniões divergentes. Isto é uma questão de princípios éticos, de evolução, de educação superior, de humanismo, conceitos que a Ana Maria Carvoeiras desconhece por completo.

 

 

Antes de escrever o que escreveu, devia ter pensado, não faria a figura de parva que fez.

 

 

https://www.facebook.com/ana.m.carvoeiras/activity/10150865347532872

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:43

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 27 de Agosto de 2013

O QUE SOFREM OS TOUROS E OS CAVALOS NO JOGO PÉRFIDO DA TAUROMAQUIA EM TODAS AS SUAS VERTENTES

 

DEDICO ESTE TEXTO AOS TERCEIRENSES FANÁTICOS DAS TOURADAS À CORDA, COM ESPERANÇA DE QUE ACEITEM A REALIDADE

 
 

Por Vasco Manuel Martins Reis,

(Médico veterinário, Aljezur, Portugal)

 

Na tauromaquia são várias as modalidades de abuso de bovinos, tanto em âmbitos privados, como em espectáculos organizados para diversão, desde touradas até garraiadas, vacadas (touradas à corda), etc.

O sofrimento começa na captura e possível “preparação” do bovino para o espectáculo com acções, intervenções para enfraquecer o animal.

 

Prossegue no transporte causador de pânico, claustrofobia, desgaste, até chegar à arena.

 

O sofrimento prossegue aqui com susto, provocação por muita gente, ludíbrio por muita gente, violência física por muita gente, esgotamento anímico e físico, ferimentos (por vezes morte). Prossegue depois com mais violência na recolha, no transporte, etc.

Animais são seres dotados de sistema nervoso mais ou menos desenvolvido, que lhes permitem sentir e tomar consciência do que se passa em seu redor e do que é perigoso e agressivo e doloroso. Este facto leva-os a utilizar mecanismos de defesa, ausentes nas plantas. Portanto, medo e dor são essenciais e condições de sobrevivência.

Vacadas e garraiadas e touradas à corda contribuem para insensibilizar, habituar e até viciar crianças e adultos no abuso cruel exercido sobre animais, o que pode propiciar mais violência futura sobre animais e pessoas.

A utilização de animais juvenis submetidos à violência de multidões, não pode ser branqueada como “espectáculo que não tem sangue e é só para as crianças se divertirem". Mesmo que não tenha sangue, é responsável por muito sofrimento dos animais.

 

Contribui, certamente, para a perda de sensibilidade de pessoas, principalmente de crianças, e para o gosto pela cruel tauromaquia. É indissociável de futilidade, sadismo, covardia.

A brincar, a brincar, se viciam pessoas, como sabemos.

São muitas as pessoas conscientes e compassivas que por esta prática de violência e de crueldade se sentem extremamente preocupadas e indignadas e sofrem solidariamente e a consideram anti educativa, fonte de enorme vergonha para o país, lesivo de reputação internacional, obstáculo que dissuade o turismo de pessoas conscientes, que se negam a visitar um país onde tais práticas, que consideram "bárbaras", acontecem!

Muitos turistas aparecem nestes espectáculos por engano e por curiosidade.

De lá saem impressionados e pensando muito negativamente sobre o que presenciaram e sobre a gente portuguesa que, neste nosso permissivo país, tal coisa apoia.

Vasco Manuel Martins Reis,
Médico veterinário
Aljezur
Portugal

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:46

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 24 de Junho de 2013

2013 É O ANO DAS BANCADAS VAZIAS NAS ARENAS DE MORTE DE PORTUGAL

 

É também o ano da morte das touradas, das garraiadas, das vacadas, da sordícia da tauromaquia…

 

 

 

E tudo continua a correr como o previsto: a arena do campo pequeno está a esvaziar-se. Pela terceira vez consecutiva teve mais de dois terços dos lugares vazios e apenas cerca de um terço dos lugares preenchidos, nas FESTAS DOS BRONCOS.

 

Só que hoje em dia, os broncos estão a diminuir. Ou por tomada de consciência, ou porque têm vergonha de serem fotografados e aparecerem escarrapachados na Internet, como os BRONCOS DO ANO!

 

Mas por todo o país, as Festas dos Broncos têm tido pouca afluência.

 

E não venham pôr a culpa na CRISE, porque não há crise na tauromaquia.

O que há é que a tourada ESTÁ MORTA.

E os tauricidas muito desacreditados.

 

Pois, se todo o mundo já sabe que não passam de psicopatas! 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:14

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 10 de Maio de 2013

CORRIDA DE GALGOS EM TERROSO (PÓVOA DE VARZIM)

 

Os galgos não nasceram para serem explorados deste modo. Quando já não têm serventia, são abandonados, maltratados e muitos morrem à fome

 

  

Promovida pela freguesia de Terroso

 

Corrida de Galgos? Mais esta? Para juntar ao abominável Tiro aos Pombos e às execráveis vacadas da freguesia de Rates?

 

E a abominável caça à raposa, pelo clube de caçadores da freguesia da Estela, que está a organizar a 4ª tourada para Julho, com o apoio de um órgão de comunicação social local e dos autarcas?

 

A Póvoa de Varzim continua a ser o concelho mais carniceiro de Portugal. Acrescente-se os maus tratos aos cães do canil; os circos com animais que invadem a cidade com cartazes desprezíveis; touradas; garraiadas...

 

Que gente será esta?

 

O que pretende deixar como herança às crianças?

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:20

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 28 de Novembro de 2012

A SOCIEDADE QUE CONDENA AS TOURADAS ESTÁ CONDENADA A LER E OUVIR OS MAIORES DISPARATES

 

 
Vítor Luís

 

 

E aqui está um, dos bem GORDOS.

 

É inconcebível conceber a existência de alguém que consegue, de uma só assentada, dizer tantos disparates.

 

Primeiro convido-vos a ler os disparates.

 

Depois, a excelente análise que fez a PRÓTOURO, e que traduz exactamente aquilo que penso, e portanto uma vez que está escrito, escuso de me repetir. Faço minhas as palavras da PRÓTOURO, com a devida vénia.

 

A SOCIEDADE QUE CONDENA AS TOURADAS ESTÁ CONDENADA

 

Por VÍTOR LUÍS

 

«A Sociedade que condena as touradas está condenada a um olhar rápido e culto independente, esta nossa sociedade supostamente «avançada» não é nada avançada. Não passa de uma sociedade doente e decadente, tão relativa como todas as culturas, e sem nenhuma autoridade para se pretender «universal».

 

Francamente, funciona com um «software» básico, repleto de «bugs», que chega a ser insultuoso, quando, por exemplo, como no 1984 de George Orwell, considera uma espécie de «Crimideia!» as alegações dos defensores das touradas, já se vê...

 

Essa «sociedade democrática e progressista» em nome de quem falam aqueles que condenam as touradas é um «ecosistema degradado» político-economicamente arruinado e socialmente desconexo, que no entanto se alimenta «ideologicamente» do «politicamente correcto» em vias de se tornar totalitário, mais próprio de «andróides manipuláveis» que de seres humanos inteligentes.
 
Há quem considere as touradas «hábitos medievais» - tal como as missas e procissões, não? – e portanto «não mais aceites numa sociedade que se quer civilizada».

 

A Democracia Grega, muito mais antiga, também podemos considerá-la como «hábito obsoleto»? Também eu queria – que a sociedade fosse realmente civilizada e reconhecesse uma herança cultural que já vem desde da Alta Antiguidade, pelo menos dos tempos de Creta, e que se enraizou em toda a bacia do Mediterrâneo com expressões múltiplas e variadas...

 

À beira de se desintegrar, a nossa «sociedade avançada» só pode servir de modelo, no seu conjunto, para o que não deve ser feito.

 

Entretanto, vai revelando uma cobardia geral e organizada de quem está de mal com a Vida e com a Morte. Tem um medo terrível da Morte, do sangue e do combate - nem quer ouvir falar disso! Porque a «vida física» é tudo, «pensa», o que não a impede de definhar. Já nem consegue matar um coelho ou uma galinha, coitada, tão longe que anda a sua atitude e o seu carácter das linhas essenciais da Vida.

 

Uma insidiosa e gradual corrupção de ideias e conceitos-chave destruiu-lhe o plano Espiritual - que já deixou de considerar, por «pensar» que isso não existe, tal como a Verdade. E o mesmo foi sucedendo à Identidade, à Ética, à Honra, à Hierarquia, à noção de Dever, ao Sentido de Serviço, ao Sacrifício por Valores maiores e muitos outros «hábitos medievais» ou até muito mais antigos.

 

Está a autodestruir-se pelo «progresso» segundo o mesmo processo de degradação convergente. Por isso, entre muitas outras carências, já não percebe nada do «mundo dos toiros» - nem do mundo dos Homens, o que é ainda pior.»

 

Vítor Luís

 

FONTE:

http://ww2.atct.org.pt/informacao/opinioes/detalhe/2012-novembro/6835-a-sociedade-que-condena-as-touradas-esta-condenada

 

***

 

«Não fosse o facto do senhor Vítor Luís ter escrito um artigo intitulado: "A sociedade que condena as touradas está condenada", jamais teríamos o "prazer" de o conhecer.

 

No seu artigo, o senhor afirma entre outras coisas que a "sociedade democrática e progressista" é um "ecosistema degradado", político-economicamente arruinado e que se alimenta "ideologicamente" do politicamente correcto. Que há quem considere as touradas como "hábitos medievais" e como tal "não mais aceites numa sociedade que se quer civilizada".

 

Obviamente o senhor não acredita em democracia, está no seu direito. Mas não acredita porque não lhe dá jeito, porque num estado democrático, a maioria prevalece sobre a minoria e neste caso, os aficionados são uma minoria. E assim sendo a maioria pode acabar com os vossos gostinhos perversos.

 

E de facto a maioria dos cidadãos consideram que as touradas são hábitos medievais e como tal não podem continuar a ser aceites numa sociedade que se quer civilizada e evoluída.

 

Esta gente, continua a não perceber que os seus argumentos para além de serem facilmente desmontáveis, são ridículos e em última instância insultuosos para a maioria dos cidadãos que têm cabeça para pensar, raciocinar e saber que um ser senciente tem o direito a não ser torturado e morto num espectáculo maquiavélico.

 

Diz ainda o senhor que a sociedade revela uma cobardia geral e organizada de quem está de mal com a vida e com a morte e que tem um medo terrível da morte, do sangue e do combate!

 

Meu caro senhor sempre que alguém nasce, sabe que um dia vai morrer, é o destino, não há nada a fazer até que um dia se descubra o elixir da vida eterna. E mesmo assim, provavelmente muitos não o quererão beber. As pessoas podem ter medo da morte porque para todas elas é o desconhecido, mas isso não faz com que as pessoas andem à procura da mesma, bem pelo contrário. Equiparar as touradas com a vida e a morte com o sangue e o combate, não é próprio de pessoas normais!

 

Senhor Vítor Luís, a sociedade que não condena touradas, está condenada e sabe porquê? Porque é uma sociedade sem valores morais. É uma sociedade que não se preocupa com a vida. É uma sociedade decadente e que caminha a passos largos para a auto-destruição. Porque quem não respeita a vida de outro ser mesmo que esse ser seja um animal, também não respeita a vida do seu semelhante.

 

Prótouro

Pelos touros em liberdade»

 

http://protouro.wordpress.com/2012/11/28/uma-sociedade-que-nao-condena-touradas-esta-condenada/

 

***

 

Gostaria apenas de acrescentar um comentário a este parágrafo que achei o máximo:

 

Diz o Vítor Luís: Há quem considere as touradas «hábitos medievais» - tal como as missas e procissões, não? – e portanto «não mais aceites numa sociedade que se quer civilizada».

 

Pois você foi brilhante, Vítor Luís. «Há quem considere as touradas “hábitos medievais”, sim, e lembrou-se muito bem de as juntar às missas e procissões, que é isso que fazem os padres católicos. Até já vimos uma procissão a ser realizada numa arena, onde a seguir iam TORTURAR TOUROS.

 

Realmente usava-se muito isto na Idade Média. Mas se vamos aceitar esse medievalismo, diga-me, onde fica a EVOLUÇÃO? A Idade Moderna e a Idade Contemporânea nunca existiram?…

 

Mas se bem me lembro, estudei alguma coisa a propósito destas duas últimas Idades, na Faculdade…

 

Mas talvez eu esteja enganada.

 

Primeiro passámos pela Idade Moderna, depois pela Contemporânea, e agora é que estamos na Idade Média…

 

Não é isso, Vítor Luís? Com touradas, missas, procissões, vacadas, sangue, muito sangue, morte em praça pública, essas coisas todas na mesma arena… BRAVO!

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:08

link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 5 de Novembro de 2012

PELOS AÇORES, POR UM MUNDO MELHOR... COMEMORAR O SÃO MARTINHO COM VACADAS NÃO!

 

 
Senhor Presidente da Câmara Municipal da Lagoa, não deixe que esta bela imagem dos Açores seja conspurcada por uma vacada, primitiva e tosca...
 

 

Pelos Açores, por um mundo melhor, entre em acção para evitar a realização de uma vacada na Lagoa (Açores).

 

A todas as pessoas singulares ou colectivas, solicita-se o envio do e-mail, abaixo dirigido ao presidente da Câmara Municipal da Lagoa (São Miguel – Açores) a solicitar o não apoio e a não autorização da vacada que está marcada para o próximo dia 10 de Novembro. Muito obrigada...


O cartaz da VERGONHA...

 

Enviar para:

gabpres-cml@mail.telepac.pt,mcatacores@gmail.com,acoresmelhores@gmail.com

 

(Carta modelo)

 

Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal da Lagoa,

 

Tomei conhecimento de que se irá realizar na Freguesia de Santa Cruz, no próximo dia 10 de Novembro, uma vacada, e venho por este meio manifestar o meu total repúdio por tal acontecimento, uma vez que as vacadas, contribuem para insensibilizar, habituar e até viciar crianças e adultos no abuso cruel exercido sobre animais.

 

Sabemos que Vossa Ex.ª, como pessoa culta, tolerante e defensora do bem-estar animal, irá rever a sua posição anterior de apoiar eventos desta natureza, convencendo os promotores, que já pediram autorização à autarquia, a desistir da realização do evento.

 

Como autarca respeitador da lei, que infelizmente não é a melhor em termos de protecção dos animais, estamos certos de que V. Ex.ª não permitirá que a vacada ocorra, pois a realização da mesma em domínio público marítimo e na data referida é contrária à legislação (artigo 49.º do DLR n.º 37/2008/A, alterado pelo DLR n.º 13/2012/A), violando o regulamento respectivo a eventos como o referido.

 

Com os melhores cumprimentos,

 

Isabel A. Ferreira

(jornalista freelancer)

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:04

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 26 de Setembro de 2012

VACADAS E GARRAIADAS ESMIUÇADAS PELO MÉDICO VETERINÁRIO DR. VASCO REIS

 

 

 

Isto é uma “vacada”. Observe-se que a vaca está manietada com uma corda. Os cornos estão impossibilitados de exercerem a função deles, isto é, DEFENDER a vaca. A vaca, que não é animal de água, está a ser torturada dentro de água, por três BRONCOS COVARDES...

 

 

 

A PROPÓSITO DA INCLUSÃO DE UMA GARRAIADA NA SEMANA DE RECEPÇÃO AO CALOIRO NA UNIVERSIDADE DO ALGARVE, ANULADA POR MACÁRIO CORREIA, UM HOMEM QUE EVOLUIU, AO CONTRÁRIO DE OUTROS, QUE ANDAM  PARA TRÁS COMO O CARANGUEJO...

 

HOJE EM DIA SÓ É IGNORANTE QUEM TEM ORGULHO DESSA CONDIÇÃO RASTAQUERA...

 

 

 «Preocupa-nos profundamente a tauromaquia com o seu cortejo de crueldade exercida sobre animais (touros e cavalos) e os seus impactos sociais e sobre a reputação internacional do nosso país. Preocupa-nos a intenção de ser organizada uma garraiada pela Associação Académica da Universidade do Algarve.

 

Apelo ao Professor Amílcar, digno docente da Universidade do Algarve, para ser solidário na luta contra este flagelo nacional e, dentro do possível, exercer a sua influência sobre as consciências, nomeadamente no seio desta Universidade.

 

Junto um texto meu a propósito de vacadas, garraiadas e tauromaquia.

 

Na tauromaquia são várias as modalidades de abuso de bovinos, tanto em âmbitos privados, como em espectáculos organizados para diversão, desde touradas até garraiadas, vacadas, etc.

 

Para quem não saiba do que se trata, pode informar-se por vídeo no YOU TUBE.

 

O sofrimento começa na captura e possível “preparação” do bovino para o espectáculo com acções, intervenções para enfraquecer o animal.

 

Prossegue no transporte causador de pânico, claustrofobia, desgaste, até chegar à arena. O sofrimento prossegue aqui com susto, provocação por muita gente, ludíbrio por muita gente, violência física por muita gente, esgotamento anímico e físico, ferimentos (por vezes morte).

 

Prossegue depois com mais violência na recolha, no transporte, etc.

Em algumas intituladas garraiadas, acontece o cravar de bandarilhas, farpas.

 

É fundamental argumentar científica, ética, cultural, socialmente ou seja, civilizadamente, para justificar o ponto de vista dos respeitadores dos animais e opositores da tauromaquia e, assim, contribuir para diminuir o sofrimento provocado pelo Homem sobre os animais não humanos.

 

É muito fácil rebater os argumentos do lobby tauromáquico, que para branquear o espectáculo cruel, faz uso de afirmações fantasiosas e não respeita o senso comum, a ciência e a ética.

 

Plantas são seres sem sistema nervoso, não sencientes e sem consciência.

 

Animais são seres dotados de sistema nervoso mais ou menos desenvolvido, que lhes permitem sentir e tomar consciência do que se passa em seu redor e do que é perigoso e agressivo e doloroso. Este facto leva-os a utilizar mecanismos de defesa, ausentes nas plantas. Portanto, medo e dor são essenciais e condições de sobrevivência.

 

A ciência revela que a constituição anatómica, a fisiologia e a neurologia do touro, do cavalo e do homem e de outros mamíferos são extremamente semelhantes.

 

As reacções destas espécies são análogas perante a ameaça, o susto, o ferimento.

 

Eles são tanto ou mais sensíveis do que nós ao medo, ao susto, ao prazer e à dor.

 

Descobertas recentes confirmam que animais, muito para além de mamíferos, aves, polvos, são seres inteligentes e conscientes.

 

O senso comum apreende isto e a ciência confirma.

 

É, portanto, nosso dever ético não lhes causar sofrimento desnecessário.

 

«A compaixão universal é o fundamento da ética» - um pensamento profundo do filósofo alemão Arthur Schopenhauer.

 

Na tourada, o homem faz espectáculo e demonstração de arrogância, de poder, de "superioridade", mas também de crueldade, provocando, fintando, ferindo com panóplia de ferros que cortam, cravam, atravessam, esgotam, por vezes matam o touro, em suma lhe provocam enorme e prolongado sofrimento, para gozo de uma assistência que se diverte com o sofrimento de um animal nesta aberração designada por arte, desporto, espectáculo, tradição.

 

O cavalo sofre enorme ansiedade, que por vezes lhe provoca a morte por paragem cardíaca, é incitado e castigado pelo cavaleiro para que enfrente o touro, sofre frequentemente ferimentos, que até lhe podem provocar a morte.

 

 

Mas nesta “arte” não são somente touros e cavalos que sofrem.

 

São muitas as pessoas conscientes e compassivas que por esta prática de violência e de crueldade se sentem extremamente preocupadas e indignadas e sofrem solidariamente e a consideram  anti educativa, fonte de enorme vergonha para o país, lesivo de reputação internacional, obstáculo que dissuade o turismo de pessoas conscientes, que se negam a visitar um país onde tais práticas, que consideram "bárbaras", acontecem!

 

Muitos turistas aparecem nestes espectáculos por engano e por curiosidade.

De lá saem impressionados e pensando muito negativamente sobre o que presenciaram e sobre a gente portuguesa que, neste nosso permissivo país, tal coisa apoia.

 

Vacadas e garraiadas contribuem para insensibilizar, habituar e até viciar crianças e adultos no abuso cruel exercido sobre animais,  o que pode propiciar mais violência futura sobre animais e pessoas. Por isso, elas não devem sequer realizar-se onde já não são novidade e, muito menos, em sítios onde não existe tradição.

 

A utilização de animais juvenis submetidos à violência de multidões, não pode ser branqueada como “espectáculo que não tem sangue e é só para as crianças se divertirem".

 

Mesmo que não tenha sangue, é responsável por muito sofrimento dos animais. Contribui, certamente, para a perda de sensibilidade de pessoas, principalmente de crianças, e para o gosto pela cruel tauromaquia.

 

É indissociável de futilidade, sadismo, covardia.

A brincar, a brincar, se viciam pessoas, como sabemos.

Até serve a estratégia dos tauromáquicos visando a manutenção e a expansão da tauromaquia.

 

Vasco Reis,

Médico veterinário

Aljezur

21.08.2012»

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:44

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Fevereiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
17
22
23
24
25
26
27
28

Posts recentes

NA ILHA DAS FLORES (AÇORE...

CARTA ABERTA ÀS SENHORAS ...

GARRAIADA DA ACADEMIA DO ...

MAIS UMA ESTUPIDEZ UNIVER...

O QUE SOFREM OS TOUROS E ...

2013 É O ANO DAS BANCADAS...

CORRIDA DE GALGOS EM TERR...

A SOCIEDADE QUE CONDENA A...

PELOS AÇORES, POR UM MUND...

VACADAS E GARRAIADAS ESMI...

Arquivos

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados
RSS

ACORDO ORTOGRÁFICO

EM DEFESA DA LÍNGUA PORTUGUESA, A AUTORA DESTE BLOGUE NÃO ADOPTA O “ACORDO ORTOGRÁFICO” DE 1990, DEVIDO A ESTE SER INCONSTITUCIONAL, LINGUISTICAMENTE INCONSISTENTE, ESTRUTURALMENTE INCONGRUENTE, PARA ALÉM DE, COMPROVADAMENTE, SER CAUSA DE UMA CRESCENTE E PERNICIOSA ILITERACIA EM PUBLICAÇÕES OFICIAIS E PRIVADAS, NAS ESCOLAS, NOS ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, NA POPULAÇÃO EM GERAL E ESTAR A CRIAR UMA GERAÇÃO DE ANALFABETOS.

BLOGUES

O Lugar da Língua Portuguesahttps://blogcontraatauromaquia.wordpress.comhttp://mgranti-touradas.blogspot.pt/https://protouro.wordpress.comhttps://protouro.wordpress.comhttp://animasentiens.com/http://www.matportugal.blogspot.pt

CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt