Sábado, 8 de Outubro de 2016

COMPAIXÃO – SENTIMENTO COMUM A TODOS OS SERES SENCIENTES

 

«É bem evidente que este cavalo sentiu compaixão pelo touro ensanguentado e já ajoelhado no chão, sem forças para se erguer.

 

Sim, os animais também podem sentir compaixão. Não é por acaso que eles acolhem e cuidam até de animais de espécie diferente.

 

Este impressionante momento entre cavalo e touro, é arrepiante, e devia ser um aguilhão na consciência dos homens, que estes dois seres sencientes e sofridos parecem interrogar.» (Maria João Gaspar Oliveira)

 

SENCIÊNCIA ANIMAL.jpg

 

Fonte:

https://www.facebook.com/1557855044442398/photos/a.1858361251058441.1073741828.1557855044442398/1858373357723897/?type=3&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:00

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 22 de Setembro de 2016

A SELVAJARIA TAUROMÁQUICA ESMAGA A CONSCIÊNCIA DO SER HUMANO

14317537_10207221609526277_6503988466953360127_n[1

Origem da foto: 

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10207221609526277&set=gm.1641346849490300&type=3&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:39

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 4 de Agosto de 2015

A DOR DO SILÊNCIO

 

Todas as vidas importam, até mesmo as que não têm voz

 

CARACOL.jpg

 

A dor do silêncio.

 Há algum tempo, a Acção Directa realizou uma campanha que espalhou-se gradualmente nas redes sociais: a dita consiste numa fotografia de um caracol com as frases Gostava de ser cozido vivo? Ele também não!. A campanha tornou-se viral e bastante polémica, sendo actualmente alvo de piadas sarcásticas que espelham a indiferença e a insensibilidade que residem no coração humano, colidindo num imenso vazio que gera o insulto gratuito. Estas reacções adversas ao que a campanha transmite revelam a enorme desconsideração que muitas pessoas têm pelas criaturas mais pequenas: arrisco-me a afirmar que, dentro do próprio especismo, são precisamente elas as mais prejudicadas e as que menos recebem direitos.

 

Algo tão simples como respeitar a mais pequena vida senciente é sinónimo, para a maioria, de um extremismo tresloucado que não merece atenção. Tal deve-se por nós, como seres antropocêntricos e desligados das restantes vidas não-humanas, acharmos antecipadamente que mais nenhum ser vivo possui quaisquer direitos, à excepção da nossa espécie.

 

Com o passar do tempo afastámo-nos bastante dos animais não-humanos e passámos a classificá-los como meros organismos instrumentais, cuja existência é para servir os nossos interesses pessoais - e esta avaliação é virada para animais maiores e mais complexos, como as vacas, os porcos, os ratos, entre outros. Por aí pode-se concluir que, se com os mamíferos é assim, com animais mais pequenos e menos complexos a situação tende a piorar.

 

A inexistência de uma ligação que revele visivelmente que o animal está a sentir dor, como sucede com o caracol, catapulta-o para um olhar ainda mais frio e totalmente ataráxico em relação à sua existência enquanto ser vivo senciente. É avaliado como uma praga ou como algo inútil, sendo aproveitado no ciclo de exploração animal de acordo com uma determinada cultura civilizacional.

Em Portugal os caracóis são vistos precisamente desse modo: como algo para ser pisado se estiver no passeio ou como um petisco. São colocados vivos em água a ferver e ninguém questiona-se sobre a dor que estes podem estar a sentir.

 

Porque eles não gritam.

Porque eles não fazem caretas.

Porque eles não se mexem.

Porque são somente caracóis.

 

E como não gritam, não fazem caretas, não se mexem e tiveram o azar de pertencer a uma classe altamente desprezada pelo ser humano, automaticamente conclui-se que não estão a sentir rigorosamente nada. O assunto fica arrumado, o que leva à incompreensão relativamente a uma campanha que defende o direito que esses moluscos têm à vida. Afinal não são como cães, ou gatos, ou até mesmo como outros animais assassinados para o mesmo fim: que estupidez vem a ser essa de andar por aí a espalhar uma mensagem implícita de que os caracóis não querem ser cozidos vivos? Eles não querem nada, até porque não têm desejos ou vontades: não são tão desenvolvidos como outros animais, pelo que é irrelevante matá-los para comer.

 

Desconstruindo esse pensamento:

 

Durante algum tempo considerou-se que as reacções dos invertebrados fossem simples reflexos e que não sentiam propriamente dor. No entanto, outros estudos científicos posteriores referem que os caracóis, assim como lesmas, baratas, caranguejos e lagostas, sentem dor. Só por não conseguirmos discernir à superfície que o animal está a sofrer, isso não indica que ele não é senciente: os invertebrados apresentam respostas nociceptivas semelhantes às apresentadas pelos vertebrados, podendo detectar e responder a estímulos nocivos, incluindo os caracóis. Tal deve-se porque os devidos possuem um gânglio cerebral: essa concentração de corpos celulares nervosos separados actua como um centro de influência nervoso.

 

CARACOL2.jpg

 

Apesar de não ter as mesmas faculdades de um cérebro mais complexo, o gânglio cerebral é suficiente para reagir a estímulos exteriores e para produzir uma sensação de dor. Somando essa proposição biológica com a proposição ética de que todos os animais merecem viver, independentemente da capacidade que estes têm de sentir dor, é evidente que os caracóis estão enquadrados nesse plano moral que oferece-lhes direitos. Quando se trata de uma vida senciente não importa se esta sofre mais ou sofre menos em relação a outra: o que importa é que esta é capaz de sentir dor.

 

Ponha a mão no coração da consciência porque todas as vidas importam, até mesmo as que não têm voz.

 

A dor não é um grito, não é um olhar trucidado, não é uma convulsão. A dor é o que atinge um ser vivo por dentro, mesmo que não seja vista por fora.

 

Leia mais: Os caracóis sentem dor? Alternativas cosméticas à baba de caracol.

 

 

Artigo revisto por Sandra Esteves, licenciada em Biologia pela Universidade de Aveiro.

 

Recursos utilizados:

The Naked Scientists

UTCUMQUE

Biorede 

ILAR Journal

Fonte:

http://grito-silenciado.blogspot.pt/

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:42

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 21 de Agosto de 2014

É JÁ AMANHÃ A MANIFESTAÇÃO CONTRA A SELVAJARIA TAUROMÁQUICA EM ALBUFEIRA TAMBÉM JÁ CLASSIFICADA ABAIXO DE LIXO

 

Faço minhas as palavras do Dr. VASCO REIS, Médico Veterinário:

 

«Um BRAVO SOLIDÁRIO a quem tem a possibilidade de se manifestar contra a exploração e massacre de animais e o faz, por exemplo, contra a tauromaquia.

 

Comprova consciência, compaixão, sentido de ética, convicção, coragem, frontalidade, espírito de missão, disponibilidade.

 

Se não conseguir convencer ignorantes ou empedernidos, aficionados e outros, talvez os faça pensar e demonstra ali a quem passa e aos MEDIA, ao país e ao mundo, que se está contra esta tortura.

 

Manifestações são ponto de encontro de gente solidária e generosa e fortalecem e elevam o espírito de missão.

Contribuem e muito para o despertar de consciências e para a evolução de mentalidades

Vamos a Albufeira protestar contra o espectáculo vergonhoso de tortura de touros e cavalos.»

( Vasco Reis)

***

Comentário de Vanessa Hallberg Borges

 

 

«É já AMANHÃ.

 

Este mundo só muda se fizeres alguma coisa. E o fazer alguma coisa não é ficar atrás de um ecrã a lamentar as imagens de tortura. É participar na pressão social e mediática que vamos fazer para passar uma mensagem importante: não queremos mais isto. Se formos persistentes, coerentes na mensagem e fortes nas nossas convicções um dia a mudança acontece (porque esta mudança é para um país melhor, sem tradições infames e inúteis).

É difícil e às vezes parece inconsequente, mas não é. Se fosse fácil já estava feito. Temos que quebrá-los pela insistência, e precisamos de ti (os nossos companheiros de caminhada neste planeta precisam da tua voz), precisamos da tua força, da tua coragem e da tua resiliência. Nós (eles) contam contigo porque a maior injustiça é não defender quem não se pode defender sozinho»
***
Boa Vanessa!

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:16

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 8 de Junho de 2014

OS BOMBEIROS DA MALVEIRA PRETENDEM JOGAR FUT-TOIRO NAS INSTALAÇÕES DO QUARTEL?

 

O quê? Li bem?

 

Mas não é o que está neste cartaz vergonhoso?

 

 

(Origem da foto)

https://www.facebook.com/VidaPorVidaOrgulhoEmSerBombeiro/posts/436893619785946

 

Não têm vergonha? Não sabem fazer nada mais civilizado? É preciso divertirem-se à moda dos broncos? Logo os bombeiros, que deviam zelar pela vida de todos os seres vivos?

 

Que raça de bombeiros são os da Malveira?

 

Falsos bombeiros. Carniceiros.

 

Deixem os bovinos em Paz, se querem ser considerados soldados da Paz.

 

De outro modo, dispam a farda, porque não a sabem honrar. 

 

E que raça de modalidade é essa do Fut-toiro?  

 

Já não chegam as outras modalidades parvas.

 

Tinham de inventar mais uma?

 

Veja-se a estupidez que é o Fut-toiro:

 
 

Isto não é de doidos varridos?
(Repara-se na assistência…) 

***

Além disso, existe uma outra questão.

 

E faço minhas as palavras do activista Luís Martins:

 

«O problema é que quando vocês se divertem maltratando animais, o problema deixa de ser exclusivamente vosso.

 

Todos os seres humanos, dignos desse nome, mais que o direito, tem o dever de intervir, a fim de tentar travar aquilo que é um crime contra um ser vivo, senciente, sensível a sentimentos como o medo e a dor.

 

Não se trata de jogar futebol ou matraquilhos. Em causa está um animal que não quer participar daquilo a que chamam um "divertimento".

 

Para o touro não é divertimento nenhum. Ele vai porque é obrigado. E isso vai contra tudo o que se pode considerar humano.

 

Maltratar animais é um crime, que só não é ainda punido em Portugal graças à cobardia de políticos que tem medo de perder meia dúzia de votos.

 

Essas "tradições" envergonham Portugal perante o mundo civilizado

 

Como já tive ocasião de dizer, essas tradições são importadas de Espanha.

Nenhum português que se preze devia fazer sua, uma tradição de quem nos colonizou.

 

Lamento imenso que se sintam ofendidos com a verdade, mas a verdade está-se nas tintas para o que pensam dela. Quem chama tradição à tauromaquia é um traidor de Portugal e da alma lusa. Se a tauromaquia fosse tradição portuguesa não se utilizavam vocábulos castelhanos, e essa forma de falar, nos acontecimentos tauromáquicos é do conhecimento de todos. Não há como negar. Quem apoia a tourada devia renegar a nacionalidade portuguesa e ir para Espanha.

 

E depois, não sei se entenderam a parte em que vocês estão a obrigar um animal a participar. Se não querem que ninguém se meta, deixem de se meter com os touros.

 

Correi vocês nus pelas ruas, espetai farpas nas costas uns dos outros. Desde que o façais de livre vontade eu não me meto. Mas quando forçam um animal a participar contra a sua vontade isso já me diz respeito. A mim e a todos os que têm consciência

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:06

link do post | Comentar | Ver comentários (6) | Adicionar aos favoritos
Sábado, 7 de Junho de 2014

NO campo pequeno, AS BORLAS E MUITOS CONVIDADOS E MUITOS FAMILIARES DOS TORCIONÁRIOS E OS MESMOS DE SEMPRE E REDUÇÕES NOS BILHETES ENCHERAM A ARENA, E AS CRIANÇAS MENORES DE IDADE QUEBRARAM A LEI…

 

 

A verdade é só uma: a tourada está podre, mas para que pareça de boa saúde, usam artimanhas, que todos conhecem, e depois dizem que a “casa esgotou”.

 

É a ilusão dos decadentes.

 

 

A revista Flash contribui para as borlas, daquela gente de plástico de má qualidade, que nem sequer sabe para onde vai.

 

De resto, a tourada foi um autêntico fiasco, segundo rezam as crónicas tauromáquicas.

 
 

 

Origem das fotos: http://farpasblogue.blogspot.pt/2014/06/famosos-ontem-no-campo-pequeno-i.html

 

Para cúmulo, por muito que se tenha escrito sobre a matéria, os responsáveis políticos, autoridades e comissões de protecção a menores fazem letra morta da legislação existente e do mais comum bom senso (é que isto nem precisava de leis) e permitem que crianças menores de idade assistam a espectáculos de violência, como se o colo das procriadoras (mães não serão) tornasse menos violentos os actos sanguinários que se cometem na arena.

 

Por muito menos já vi retirarem os filhos aos pais.

 

Não são os procriadores os responsáveis por esta inconsciência, mas sim as autoridades que, negligentemente, não fazem cumprir as leis do País.

 

E não se escudem na ambiguidade dessas leis, feitas já com esse propósito.

 

Existe uma lei maior do que as que cestão no papel, a lei da consciência, e é essa de deve prevalecer.

 

O que estão a fazer às crianças portuguesas que vivem no meio tauromáquico, sem lhes darem opções educativas válidas e evoluídas?  

 

A prepará-las para serem os futuros biocidas?

 

Pela enésima vez aqui deixo este alerta:

 

"A Tauromaquia é a terrível e venal arte de torturar e matar animais em público, segundo determinadas regras. Traumatiza as crianças e adultos sensíveis. A tourada agrava o estado dos neuróticos atraídos por estes espectáculos. Desnaturaliza a relação entre o homem e o animal, afronta a moral, a educação, a ciência e a cultura" (UNESCO, 1980)

 

O que é que as autoridades portuguesas ainda não entenderam?

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:00

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 2 de Maio de 2014

À ATENÇÃO DOS MEUS GRANDES “FÃS” AFICIONADOS

 

Alguém que veio do passado enviou-me esta mensagem:

 

Pois não me incomodo absolutamente nada com o que os meus grandes “fãs” aficionados (ou outros) falam ou pensam ou escrevem a meu respeito.

 

A minha consciência é que me rege.

 

O meu instinto, a minha intuição, que são mais fortes do que os sete ventos norte, são a minha bússola.

 

Não, nunca esperei a aprovação de todos. Seria um erro crasso.

 

Por isso, o fracasso nunca esteve no meu caminho.

 

E se uma Isabel A. Ferreira incomoda muita gente, uma Isabel A. Ferreira tranquila pode incomodar muito mais.

 

Pois então façam como eu, meus grandes “fãs” aficionados: optem pelo caminho luminoso…

 

Deixem que a luz se entranhe na vossa pele e transformem-se em seres humanos…

 

Não custa nada e ainda vão a tempo…nem que tenham pela frente apenas meia dúzia de anos para viver…

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:25

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 13 de Abril de 2014

QUE A INDIFERENÇA E A IGNORÂNCIA NÃO VOS VENÇAM…

 

Um vídeo que é obrigatório ver

 

E se depois de o verem não tomarem consciência da súplica que aqui se faz… é porque o vosso cérebro é um simples grão de areia sem qualquer funcionalidade...

 

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:38

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 9 de Abril de 2014

MARCHA ANIMAL 2014

 

Às Associações de Protecção de Animais, Grupos e Plataformas formais ou informais, e Cidadãs/os:

 

Mais um ano, mais uma marcha pela protecção dos animais em Portugal.

 

A ANIMAL juntamente com outras associações começou a fazer as marchas em 2000 e este ano não será excepção.

 

A concentração terá início pelas 15h no Campo Pequeno e a Marcha começará às 16h em direcção ao Parlamento.

 

Chegados ao Parlamento teremos alguns eventos musicais e também uma stand up comedy.

 

Pedimos a vossa presença e o vosso esforço apenas um dia por ano para nos ajudarem a dar voz aos animais e mostrar ao resto do país - principalmente a quem menoriza esta Causa - que somos cada vez mais pelos animais.

 

Tragam também os vossos cartazes e banners e promovam assim o vosso Grupo/Associação.

 

***

 

OPINIÃO SOBRE MANIFESTAÇÕES, NOMEADAMENTE, A “MARCHA ANIMAL” A 12 DE ABRIL DE 2014

 

Por Dr. Vasco Reis (Médico Veterinário)

 

Um BRAVO SOLIDÁRIO a quem tem a possibilidade de se manifestar contra a exploração e massacre de animais e o faz.

 

Comprova consciência, compaixão, sentido de ética, convicção, coragem, frontalidade, espírito de missão, disponibilidade.

 

Demonstra ali a quem passa e aos MEDIA, ao país e ao mundo, que se está contra tal barbaridade.

 

Alerta os, até então, distraídos, distantes, indiferentes a tomarem atenção e a aderirem à causa.

 

Até, quem sabe, pode conseguir iluminar ignorantes ou empedernidos e fazê-los arrepiar caminho, ou não são eles, afinal, também seres pensantes com algum poder de sentir e de raciocinar?

 

Manifestações são ponto de encontro de gente solidária e generosa e fortalecem e elevam o espírito de missão.

 

Talvez seja prudente optar-se por manifestações relativamente silenciosas, em frente de locais onde e quando se realizam touradas.

 

Se forem silenciosas junto a aficionados, não devem exacerbar tanto a agressividade dessa gente, podem provocar menos críticas do público e serão bem-vindas das autoridades.

 

Devem ser apresentados cartazes também com afirmações concisas de ordem científica, logo irrefutáveis e didácticas.

 

Convém serem cartazes de muito impacto e importa esmerar-se no comportamento pacífico.

 

Noutras manifestações para o público, para entidades e para divulgação pelos MEDIA, aí sim, convém soarem muitas mensagens, também por vozes bem audíveis.

 

A luta abolicionista da tauromaquia desenvolve-se por imperativo de consciência, por compaixão contra o massacre de touros e cavalos, que são seres sencientes, conscientes, inteligentes, emotivos, com sentimentos, seres susceptíveis ao sofrimento psicológico e físico, de modo muito semelhante ao dos humanos. 

 

Visa também aliviar as imensas pessoas que se indignam e sofrem solidariamente com os animais.

 

Pretende acabar-se com essa enorme vergonha nacional.

 

A desculpa de que seja tradição nalgumas regiões, não pode justificar a aceitação de uma actividade tão cruel e tão degradante.

 

A luta abolicionista é muito forte na vizinha Espanha e no sul da França, também muito atingidas por esta praga.

 

É grande a solidariedade destes movimentos pela luta que se trava em Portugal.

 

Desejam-nos um grande sucesso e esperam que muitos milhares de pessoas conscientes estejam nesta MARCHA.

 

Vamos mostrar o que queremos e do que somos capazes?

 

“Eia avante Portugueses, eia avante sem temer... “, repetindo o entusiasmo de outros tempos e de outras lutas?

 

Vamos mostrar que, mesmo em tempos muito difíceis, portugueses são capazes de expressar a sua vontade em recuperar o respeito pelos animais e pela ética e em acabar com a sua tortura?

 

Eu alinho com a ANIMAL e demais animalistas em manifestações pacíficas e vou estar na Marcha ANIMAL deste 12 de Abril às 15 horas no Campo Pequeno em Lisboa.

 

Um abraço animalista e abolicionista!

 

Vasco Reis

 

 

http://youtu.be/jbEk0WzUk4w

 

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:27

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 17 de Março de 2014

OS ANIMAIS NÃO HUMANOS TAMBÉM PODEM SENTIR DOR, ALEGRIA E FELICIDADE

 

Não sabias?

 Agora já sabes.

E agora que já sabes, vê lá como os tratas…

Vê lá como te comportas perante ele e perante o mundo…

Não sejas idiota…

 

 

«Os animais não-humanos, tal como os humanos, são seres sencientes e com a necessidade de serem felizes. Pesquisas demonstram que os mamíferos, peixes e crustáceos sentem dor através de mecanismos moleculares muito semelhantes aos dos seres humanos. Indicam também que os animais não-humanos sentem alegria e felicidade.

 

A cada ano que passa, mais de sessenta biliões de animais são criados pela "indústria pecuária", para acabarem como comida nos pratos dos humanos.

 

Analisando pela perspectiva da felicidade, a maioria desses animais não-humanos, provavelmente já viveu uma vida que não valeu a pena viver, de desconforto, dor, sofrimento e desespero.

 

Todo este sofrimento poderá ser minimizado se houver uma mudança de atitude por parte dos humanos e procurar, cada um por si, alterar hábitos e atitudes, de forma a respeitar a dignidade dos animal de acordo com a nossa consciência, pois todo e qualquer sofrimento é abominável na proporção de sua gravidade e cria uma angústia nestes belos seres, tornando-os vítimas da nossa insensível consciência

 

Senciência Animal: http://pt.wikipedia.org/wiki/Senciência

 

Fonte:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=603470969720924&set=np.59533384.100000123032483&type=1&theater&notif_t=notify_me

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:31

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

COMPAIXÃO – SENTIMENTO CO...

A SELVAJARIA TAUROMÁQUICA...

A DOR DO SILÊNCIO

É JÁ AMANHÃ A MANIFESTAÇÃ...

OS BOMBEIROS DA MALVEIRA ...

NO campo pequeno, AS BORL...

À ATENÇÃO DOS MEUS GRANDE...

QUE A INDIFERENÇA E A IGN...

MARCHA ANIMAL 2014

OS ANIMAIS NÃO HUMANOS TA...

Arquivos

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados
RSS

ACORDO ORTOGRÁFICO

EM DEFESA DA LÍNGUA PORTUGUESA, A AUTORA DESTE BLOGUE NÃO ADOPTA O “ACORDO ORTOGRÁFICO” DE 1990, DEVIDO A ESTE SER INCONSTITUCIONAL, LINGUISTICAMENTE INCONSISTENTE, ESTRUTURALMENTE INCONGRUENTE, PARA ALÉM DE, COMPROVADAMENTE, SER CAUSA DE UMA CRESCENTE E PERNICIOSA ILITERACIA EM PUBLICAÇÕES OFICIAIS E PRIVADAS, NAS ESCOLAS, NOS ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, NA POPULAÇÃO EM GERAL E ESTAR A CRIAR UMA GERAÇÃO DE ANALFABETOS.

BLOGUES

O Lugar da Língua Portuguesahttps://blogcontraatauromaquia.wordpress.comhttp://mgranti-touradas.blogspot.pt/https://protouro.wordpress.comhttps://protouro.wordpress.comhttp://animasentiens.com/http://www.matportugal.blogspot.pt

CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt