Quarta-feira, 1 de Junho de 2011

JOSEFINA MALLER ESTREIA-SE COM «A HORA DO LOBO»

 

 

 

 

O que poderá dizer-se de Josefina Maller?

 

O que ela quis que de si se soubesse na sua Nota Biográfica (relatada nas badanas do livro), e que,
resumidamente, diz o seguinte: a sua infância e a adolescência foram passadas entre dois continentes – Europa e América do Sul – pontuadas pelo romantismo e proezas de viagens a bordo de grandes navios, vivenciando peripécias exóticas, aqui e ali, o que nela desenvolveram um espírito aventureiro, desassossegado, insatisfeito…

 

Depois veio a realidade: trabalhou numa escola pública, em Portugal, durante dois anos. Não satisfeita, com horários e campainhas, enveredou pelo Jornalismo e pela arte fotográfica. Alguns anos durou essa carreira, de escrita e de fotógrafa, como freelancer, em vários jornais nortenhos. Recebeu alguns prémios. Mas o seu maior prémio, segundo ela própria, foi o de ter conseguido apanhar a vida em andamento…

 

Entretanto, o passado passou, e actualmente escreve porque essa, enfim, é a sua verdadeira vocação.

 

A autora estreou-se com «A Hora do Lobo», um livro estranho, perturbador, onde a ficção e a realidade se unem para dar voz a muitas vozes, que precisam de gritar, mas não têm como.

 

É um livro ousado, que reflecte as coisas do Mundo, do Homem, da Humanidade, do Planeta e do Futuro... (Se houver Futuro).

 

Segundo a autora: «A Hora do Lobo» é um livro que incomoda. Um livro atrevido. Desassossegado. Intencionalmente provocante. Um desafio às mentes adormecidas. Pontilhado de casos reais. É um livro que desafia a mediocridade».

 

Por isso Josefina Maller adverte: «Não pode adquirir o meu livro quem gosta da chamada “literatura
light”; quem gosta de romances de “água com açúcar”; quem gosta da vulgaridade; ou quem não gosta de reflectir»...

 

Trata-se de uma pré-visão do que poderá acontecer ao homem e ao Planeta, um alerta aos poderosos do mundo, mas também a idílica vivência de um nefelibata que percorre o mundo.

 

É uma história com várias histórias dentro, escrita escorreitamente, na Mátria Língua Portuguesa.

 

 Uma história, cujo final ficará ao critério de cada leitor... como um desafio à inteligência...

 

Um livro que se recomenda a todos quantos se preocupam com a Vida no Planeta, de um modo global.

 

 

SINOPSE

 

Tudo aconteceu inesperadamente.

 

As carnes de todos os seres vivos começaram a cair como chuva fétida. Homens e mulheres, velhos e novos foram atacados pelo que se admite ter sido o mais surpreendente tédio do Universo. Fracos e fortes, bons e maus, todos os animais vertebrados e invertebrados, caminhantes e rastejantes sobre a Terra evolaram-se, então, impelidos por uma ventania endoidecida. Toda a vegetação murchou e as águas das fontes, dos rios, dos lagos e dos oceanos secaram, tal o poder flamífero do Sol que, saturado, cingiu o planeta com um deslumbrante manto de fogo. E esse fogo era tudo o que restava do caos.

 

Veio, depois, o vazio.

 

O nada, na sua mais absoluta significância. O nada, mas não as trevas. Era uma luz intensa que
fulgurava. Tão ofuscante que causaria pasmo e aquele terror primordial do desconhecido, se alguém tivesse ficado para contemplá-la.

 

Iniciara-se a revolta dos elementos. Ferozes. Saturados de raivas acumuladas, há longos, longos séculos, pelos maus-tratos que lhes foram infligidos. Desprotegido, o Planeta ficou então inteiramente à mercê de um Sol insensível, único elemento dominante no caos em que o Universo se transformou, o qual envolveu a Terra num abraço funesto, ao lançar os seus raios ultravioletas, como flechas envenenadas, sobre todos os povos.

 

Todavia, pelo planeta, deambulava o esqueleto de um homem que, misteriosamente, sobrevivera
ao tédio do Universo. Um ser sonâmbulo. Amostra de um caos absoluto. Simulacro de sombra ou vivo-morto, sem condição para repousar, em paz, o corpo descarnado. Por isso, aguardava, expectante, o desfecho desta rebelião dos elementos, e um destino singular e inimaginável, que o aguardava, lá, num lugar secreto, onde a vida fluía como um milagre…

 

***

Por motivos alheios à vontade da autora, o livro não se encontra à venda nas livrarias portuguesas. Quem estiver interessado em o adquirir, deve fazê-lo através do e-mail: josefina.maller@gmail.com

O livro será enviado via CTT, por 15,00 Euros (já incluído os portes para território português).

 

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 12:14

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

NOVA CARTA ABERTA A MARCE...

«ADULTERAÇÃO, NO BRASIL, ...

AFICIONADO DIZ QUE CORTA...

RESPOSTA DO PROVEDOR DO T...

PORTUGAL A ARDER NO FOGO ...

CARTA ABERTA A GONÇALO RE...

AS CRIANÇAS E OS ANIMAIS ...

A NATUREZA TEM RAZÕES QUE...

OS MAIS CIVILIZACIONALMEN...

TOURADAS CERCIBEJA A VERG...

Arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados
RSS

ACORDO ORTOGRÁFICO

EM DEFESA DA LÍNGUA PORTUGUESA, A AUTORA DESTE BLOGUE NÃO ADOPTA O “ACORDO ORTOGRÁFICO” DE 1990, DEVIDO A ESTE SER INCONSTITUCIONAL, LINGUISTICAMENTE INCONSISTENTE, ESTRUTURALMENTE INCONGRUENTE, PARA ALÉM DE, COMPROVADAMENTE, SER CAUSA DE UMA CRESCENTE E PERNICIOSA ILITERACIA EM PUBLICAÇÕES OFICIAIS E PRIVADAS, NAS ESCOLAS, NOS ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, NA POPULAÇÃO EM GERAL E ESTAR A CRIAR UMA GERAÇÃO DE ANALFABETOS.

BLOGUES

O Lugar da Língua Portuguesahttps://blogcontraatauromaquia.wordpress.comhttp://mgranti-touradas.blogspot.pt/https://protouro.wordpress.comhttps://protouro.wordpress.comhttp://animasentiens.com/http://www.matportugal.blogspot.pt

CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt